Você está aqui: Página Inicial / Tecnologia / E agora Bill Gates?

Tecnologia

Tecnologia

E agora Bill Gates?

por Gabriel Bonis publicado 30/09/2011 21h01, última modificação 06/06/2015 18h15
Três anos após saída de seu criador, Microsoft despenca em valor de mercado e fica atrás de Apple e IBM

Pouco mais de três anos após a aposentadoria de Bill Gates, a Microsoft enfrenta dificuldades em se manter no topo das gigantes de tecnologia, seja em valor de mercado ou em inovação.

No primeiro quesito, foi ultrapassada em maio de 2010 pela Apple e, na quinta-feira 29, pela IBM. As ações da companhia criada por Gates 1975 fecharam o dia valendo 213,2 bilhões de dólares (400,8 bilhões de reais), contra 214 bilhões de dólares (402,3 bilhões de reais) da IBM.

Essa é a primeira vez desde 1996 que a Microsoft fica abaixo do segundo lugar em valor de mercado entre as empresas de tecnologia. Em 2008, a companhia valia 279,3 bilhões de dólares (525 bilhões de reais).

Em 2011, a Microsoft vem amargando desvalorização de 8,8% em suas ações, enquanto a IBM registra até setembro alta de 22%, focando suas atividades apenas em software e serviços.

Por outro lado, a empresa de Gates perdeu espaço nos últimos anos em diversos mercados, principalmente na internet e no sistema operacional. Há cerca de dois anos, a Microsoft fechou uma parceria com o Yahoo para tentar alavancar o seu sistema de buscas online, o Bing, e quebrar o domínio do Google no setor.

O Yahoo aceitou usar em seus sites o Bing, dono de 8,4% do mercado americano de buscas, contra 19,6% do próprio Yahoo e 65% do Google. Em troca, o parceiro administraria as vendas em publicidade on-line, com estimados 500 milhões de dólares anuais em lucro. Porém, até o momento a parceria não rendeu os resultados esperados para ambos, culminando na demissão da CEO do Yahoo, Carol Bartz, no ínicio de setembro.

A Microsoft ainda enfrenta a concorrência e a popularização de sistemas operacionais gratuitos para computadores, como o Linux, e o desenvolvimento dessas mesmas plataformas para tablets. Além disso, a empresa não conseguiu entrar no mercado da telefonia móvel até o momento e seu navegador , o Internet Explorer,  alvo de críticas por sua instabilidade, assiste a ascensão de  Firefox e Crome. No entanto, a comercialização do Windows e dos softwares Office ainda são as maiores receitas da companhia.

Líder

A Apple continua no topo da empresas de tecnologia com maior valor de mercado somando 362 bilhões de dólares (680,5 bilhões de reais). Contudo, o efeito da saída de seu "mestre comercial", Steve Jobs, ainda é incerto. No dia seguinte ao anúncio de sua renúncia da presidência, em agosto, por questões médicas, as ações da empresa despencaram 3%.

Nos anos 90, sem a presença de Jobs, afastado em 1985, a Apple enfrentou crises e quase foi à falência. Renasceu apenas com o retorno de seu criador em 1996, que comandou uma série de lançamentos responsáveis pelo "culto" à marca nos anos 2000, como o iMac (1998), iPod (2001), mais famoso reprodutor de música digital do mundo e os high-tecs touch screen iPhone e iPad.

Tudo isso feito com muito menos dinheiro investido que as concorrentes. Em 2010, a Apple gastou "apenas" 2,7 bilhões de dólares em pesquisas, contra 13,9 bilhões de dólares da Microsoft e 5,9 bilhões de dólares da Sony.

Perdendo mercado desta forma, a Microsoft vai ter que inovar e cortar gastos para não sangrar lentamente como os gigantes da tecnologia/internet Yahoo e AOL.