Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / PM faz operação em busca de traficante na zona Oeste

Sociedade

Violência no Rio

PM faz operação em busca de traficante na zona Oeste

por Redação Carta Capital — publicado 29/11/2010 09h16, última modificação 06/06/2015 18h43
Em busca do traficante Polegar, na favela de Antares, na zona oeste do Rio, polícia apreende drogas e motos. Neste espaço, uma coletânea de artigos de especialistas. Leia e deixe sua opinião

[Atualizada às 17h58]

Cerca de 50 homens do 27º Batalhão de Polícia Militar (BPM) fizeram hoje (29) uma operação na Favela de Antares, em Santa Cruz, zona oeste do Rio. Segundo a denúncia, o traficante Alexandre Mendes da Silva, o Polegar, acusado de ser chefe do tráfico de drogas do Morro da Mangueira, havia fugido do Complexo do Alemão, na Penha, para a favela da zona oeste.

De acordo com o comandante do 27º BPM, tenente-coronel Daniel Nascimento, duas pessoas foram presas sem oferecer resistência durante a operação, mas Polegar não foi encontrado. Além das duas prisões, a PM apreendeu uma quantidade de drogas e cinco motos.

Depois de ocuparem o Complexo do Alemão as tropas da polícia carioca, o Batalhão de Operações Especiais (Bope) e as Forças Armadas se preparam para combater o tráfico nas favelas da Rocinha e Vidigal na zona Sul. Quem informa é o secretário de Segurança Pública do Estado, José Mariano Beltrame. O secretário, durante entrevista coletiva na noite deste domingo 28, classificou o local resgatado como “o coração do mal” e elogiou a ação junto às Forças Armadas.

Beltrame fez questão de enfatizar que a estratégia venceu “a mais importante e a mais difícil batalha” e garantiu que a área vai permanecer ocupada e policiada.

A manhã desta segunda-feira 29 foi de aparente tranquilidade no conjunto de favelas do Alemão. Moradores da região voltaram à rotina, saindo de casa para trabalhar. O comércio que permaneceu fechado nos últimos dias por conta dos tiroteios entre policiais e traficantes reabriu as portas. Já as escolas tanto do Alemão quanto da Vila Cruzeiro permanecem sem aulas. O prefeito Eduardo Paes deve decidir hoje junto a secretaria municipal de Educação quando serão retomadas.

A polícia continua vasculhando das cerca de 30 mil casas da região, à procura de armas e drogas abandonadas pelos traficantes em fuga. Por causa dos confrontos e devido à queima de caminhões pelos traficantes, faltam luz e água em diversos pontos das comunidades.

Homens do Bope passaram a madrugada posicionados em pontos estratégicos das comunidades, mesmo com as buscas por armas, drogas e criminosos interrompidas. A ocupação do local segue por tempo indeterminado.

Abaixo leia as análises sobre a situação que publicamos aqui nos últimos dias e dê a sua opinião no espaço abaixo destinado aos comentários. Wálter Maierovitch, Maurício Dias, Paulo Vannuchi, Luiz Eduardo Soares, Vladimir Palmeira, Marcelo Freixo, Chico Alencar, Plínio de Arruda Sampaio, José Cláudio Souza Soares e a ONG “Observatório das Favelas” fazem aqui suas avaliações. CartaCapital pretende assim contribuir com o debate sobre esta situação tão grave e tão complexa que o País enfrenta.

Wálter Maierovitch, em 24/11/2010:

Paolo Manzo, em 25/11/2010:

Wálter Maierovitch, em 25/11/2010:

Walter Maierovitch, em 26/11/2020:

Marcelo Freixo, em 25/10/2010:
Marcelo Freixo, em 24/11/2010:

Vladimir Palmeira, em 25/11/2010:

Prof. José Cláudio Souza Alves, em 25/11/2010:

Mauricio Dias, em 26/11/2010:

Plínio Arruda Sampaio, em 26/11/2010:

Página 12, argentino, em 26/11/2010:

Bahia de Fato, em 26/11/2010:

, em 26/11/2010

Chico Alencar, em 26/11/2010:

Observatório de Favelas, em 27/11/2010

Luiz Eduardo Soares, em 27/11/2010:

Ricardo Targino, em 29/11/2010:

José Cláudio Souza Alves, em 29/11/2010:

Allan Mahet, em 29/11/2010:

*Com informações da Agência Brasil

registrado em: ,