Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Política agrária está em baixa

Sociedade

MST - 30 anos

Política agrária está em baixa

por Redação — publicado 10/02/2014 10h17
Estudo da Unesp mostra que números de assentamentos continuam baixos. Em 2012, foram criados 117, contra 879 em 2005, ano em que eles mais deles surgiram
Agência Brasil
MST

MST é o movimento que lidera mais ocupações no país

A criação de assentamentos pela reforma agrária continua baixa no país, segundo relatório do Núcleo de Estudos, Pesquisas e Projetos de Reforma Agrária (Nera) divulgado na última sexta-feira 7. Em 2012, foram criados 117 assentamentos. Em 2005, ano em que mais foram criados, foram 879. Os dados são do do Dataluta.

O número de assentamentos criados teve uma forte diminuição de 2006 a 2011, sendo que em 2012 houve pequeno aumento em relação ao ano anterior. Segundo o estudo, o movimento que mais promove ocupações de terras no país é o MST, seguido pela Contag (Confederação Nacional dos Trabalhadores na Agricultura) e por movimentos indígenas. Concentradas no Centro-Sul e no Nordeste, as ocupações entre 1988 e 2012 somaram 8.789 com 1.221.658 famílias envolvidas. Em 2012 foram 253 ocupações, das quais participaram 23.145 famílias.

“Esta síntese geral demonstra que, apesar do movimento de diminuição das ações dos movimentos socioterritoriais, o campo brasileiro ainda apresenta significativa conflitualidade, retração da política de assentamentos rurais e estrutura fundiária concentrada e que cresce guardando esta característica estrutural e fundante dos problemas históricos do campo brasileiro,” diz o geógrafo da Unesp Eduardo Paulon Girardi. Acesse aqui a íntegra do relatório.

registrado em: ,