Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Tarso convida Baltazar Garzón para colaborar com estudo de combate à corrupção

Sociedade

Colaboração

Tarso convida Baltazar Garzón para colaborar com estudo de combate à corrupção

por Sul 21 — publicado 16/11/2010 11h10, última modificação 16/11/2010 11h12
O estado gaúcho pode se tornar modelo de referência nacional de enfrentamento à corrupção, que tanto preocupa as sociedade brasileira, com a ajuda de juíz espanhol

Por Alexandre Cruz/ Especial Madri*

O diferencial de um grande político está na construção da rede de contatos e de amigos. E esta é uma virtude que Tarso Genro, que irá governar o Rio Grande do Sul por quatro anos, possui. Na tarde de hoje (15), ele formulou o convite para que o juiz espanhol Baltasar Garzón colabore com o futuro governo no combate à corrupção. De acordo com Tarso, o estado gaúcho será o modelo de referência nacional de enfrentamento à corrupção que tanto preocupa as sociedades brasileira e gaúcha.

A forma como o juiz Baltazar Garzón vai colaborar com o governo Tarso ainda não foi definida. Certo é que o magistrado participará do Seminário de Desenvolvimento Econômico e Social, que acontecerá no segundo semestre de 2011, em Porto Alegre.

Garzón ganhou fama internacional por expedir uma ordem de prisão contra o ex-ditador chileno Augusto Pinochet, pela morte e tortura de cidadãos espanhóis. Em contrapartida, este ano foi perseguido pela direita espanhola ao abrir uma investigação sobre desaparecidos na época do ditador espanhol Francisco Franco e quase sentou nos bancos dos réus.

Conselhão - No fim da tarde de hoje (15), o governador eleito convidou, também, o chefe do Conselho Econômico e Social espanhol Francisco Gonzales Lena para participar do Seminário de Desenvolvimento Econômico e Social. O mesmo convite será feito ao Conselho português e, provavelmente, a autoridades da França e da Noruega. O objetivo deste seminário, segundo o governador eleito, é estreitar e aprofundar as experiências com os Conselhos Econômico e Social da Europa.

No início da reunião com o Conselho espanhol, Franciso Lena apresentou a trajetória histórica do CES, desenhando o panorama da situação laboral de Espanha na época em que o CES surgiu. Tarso afirmou que antes da implantação do Conselho Econômico e Social, o Conselhão, no Brasil, ele estudou a experiência de sete países e o mais próximo foi o modelo espanhol. Relatou que no governo Lula o objetivo foi reunir os atores sociais dentro de uma visão política de emergência de crescer e de inclusão social.

O futuro secretário do Conselho, Marcelo Danéris, afirmou que o CES estadual seguirá o modelo do Conselhão do governo Lula. Será o espaço de diálogo e participação social e concertação. “Será discutida a Reforma da Previdência,” afirmou Danéris. Ele considera que o CES estadual será um marco e um desafio, principalmente porque o Rio Grande do Sul é um estado historicamente polarizado na disputa política. Amanhã (16), a agenda de Tarso prevê uma reunião-almoço com os investidores espanhóis, em Madrid, próximo ao Estádio Santiago Bernabeu.

*Matéria originalmente publicada no Sul 21

registrado em: