Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Protesto contra gastos da Copa do Mundo reúne mil pessoas em SP

Sociedade

São Paulo

Protesto contra gastos da Copa do Mundo reúne mil pessoas em SP

por Agência Brasil publicado 25/01/2014 19h38, última modificação 27/01/2014 09h15
Com o lema "Se não tiver direito, não vai ter Copa", manifestantes participam de protesto na Avenida Paulista

Com o lema “Se não tiver direito, não vai ter Copa”, cerca de mil pessoas, segundo a Polícia Militar (PM), participam de um protesto na Avenida Paulista contra os gastos públicos com o evento organizado pela Federação Internacional de Futebol. O ato, que ocorre neste sábado 25, no dia do aniversário de 460 anos de São Paulo, é o primeiro no ano em que ocorre a Copa do Mundo. Outras capitais do País também fazem mobilização.

De acordo com a organização, composta por cerca de 20 movimentos sociais, pelo menos cinco mil pessoas são esperadas. O trajeto não foi divulgado. Um manifesto assinado pelos grupos que compõem a organização explica as razões do ato.

“O levante de junho já mostrou claramente o que o brasileiros já perceberam: os gastos bilionários na construção dos estádios não melhoram a vida da população, apenas retiram investimentos de direitos sociais. Mas junho foi só o começo!”, assinala a nota. O manifesto recorda que, embora os dirigentes políticos afirmassem que não era possível atender a reivindicação pela redução da tarifa, “o poder popular nas ruas mostrou que realidades podem ser transformadas”.

Na concentração para o protesto às 17h no vão-livre do Museu de Arte de São Paulo (Masp), a PM já deteve duas pessoas. Segundo o major Larry Saraiva - responsável por coordenar os 900 homens designados para acompanhar a manifestação - um dos jovens levava uma marreta na mochila e o outro tinha uma porção de maconha. Eles serão encaminhados para o 78º Distrito Policial.

“O delegado vai dizer qual é o enquadramento. É que nem estádio de futebol, a gente faz a revista e tira os objetos que podem ser usados contra outras pessoas”, explicou o major. Ele disse que são levados para averiguação.

Cinco barracas montadas ontem, a meia-noite no vão-livre do Masp também foram vistoriadas por policiais. A revista foi feita em acordo com a organização do protesto e acompanhada pelos responsáveis de cada barrraca. Ainda segundo o major Larry, um pelotão da  tropa de choque também está mobilizado caso haja necessidade.

registrado em: