Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Nova Barcelona após a Copa?

Sociedade

Bueiros Aires

Nova Barcelona após a Copa?

por Edgard Catoira — publicado 04/10/2011 08h54, última modificação 04/10/2011 11h04
As empreiteiras rasgam as ruas, tapam o calçamento de qualquer jeito, e quem não explodir num bueiro, tropeça nos buracos

Forçando na Barra da Tijuca

O deputado federal Otavio Leite desfilou pelo Rock in Rio. Empertigadinho, dono de um discurso gongórico, Sua Excelência, que está mais para Ray Conniffdo que para rock star, disfarçava estar à vontade.

Ícaro e o comandante

O Coronel Erir Ribeiro Costa Filho, novo comandante da Polícia Militar do Rio, deu a volta por cima.  Após o episódio em que denunciou o Deputado Chiquinho da Mangueira por envolvimento com o tráfico de drogas e caiu em desgraça, tornou-se, oito anos depois, o número 1 da PM do Estado.

Espera-se que, mais uma vez, nos próximos dias, quando alcançar os principais chefões do crime organizado no Estado, não caia novamente.

Na mitologia grega, o jovem Ícaro despencou do céu ao aproximar-se do Sol, por muitos, associado à verdade.

Workaholics.gov.br

Virou moda essa história de reuniões de governo nos finais de semana. O prefeito do Rio, Eduardo Paes, por exemplo, adora se reunir com seu secretariado no final de semana, como o fez no último dia 17/9. Dilma também é chegada a esses encontros.

Será que descansar, estar com a família e outras coisas mais não são importantes?

Mas também não precisa exagerar, ou relaxar tanto (!!!), como o Governador Sérgio Cabral. Paris é linda, mas ele é Governador do Estado Rio de Janeiro.

Criador e criatura

Aliás, oalcaide do Rio, filho político de Cesar Maia, aprendeu todas as lições de seu inventor – sempre cria novas notícias e está em todas as ações consideradas corretas. Tem aparecido no noticiário até andando de bicicleta. De bermuda, capacete. Equipado como se deve para ir ao trabalho, apesar de não contar como volta para casa depois...

Só que, além de ocupar espaço na imprensa, ele também se deixa ver no Diário Oficial do Município. Tanto de bicicleta como em reuniões de fim de semana, como essa foto do encontro de trabalho no dia 17 de setembro que saiu na capa no DO.

Seu mestre e atual desafeto Cesar Maia acharia falta de ética usar um jornal oficial do município para aparecer um pouco mais.

Cidadania carioca

Nos últimos meses, o assunto em qualquer roda invariavelmente deságua em como a cidade se prepara para a Copa. O que ficará depois dela? Seremos uma nova Barcelona?

O que se vê, não deixa dúvidas – buracos em vias públicas.Para o Metrô, na Barra. No centro e bairros da Zona Sul, tapumes da Light e da Ceg – de gás. Estas reformas deveriam ter sido realizadas ao longo dos anos, uma a uma, rotineiramente. Mas estão atropelando a vida de pedestres e motoristas para evitar novas explosões de bueiros assassinos nas ruas. Parece respeito repentino ao carioca, mas é uma correria desabalada para abafar os escândalos de novas explosões que vão acontecer inevitavelmente, maculando – mais – as imagens de empresas e autoridades públicas.

Aliás

Um bom exemplo da desordem é o da esquina da Santa Clara com Barata Ribeiro, em Copacabana: de um lado da rua há escavações da Light. Do outro, da Ceg.

A placa que indica por onde devem passar, está mal colocada. Afinal, se alguém passar por essas esquinas, vai mesmo é acabar voando. Para cima, como deveria estar indicando a placa. Assim:

É mais uma ação respeitadora da cidadania que um dia o carioca vai saber que também possui.

Ainda assim,

O carioca vai ter de participar da construção de sua cidade. Por um pequeno gargalo na rua, os carros se comprimem, buzinam e continuam forçando eternos engarrafamentos na região. Já os pedestres, bem, que se virem.

As empreiteiras que estão rasgando as ruas para arrumar as tubulações tapam o calçamento de qualquer jeito. As famosas pedras portuguesas das ruas são mal colocadas e sem base para se manterem alinhadas. O resultado é um horror visual. E quem não explodir num bueiro, tropeça nos buracos. Mas, quem é responsável por manter as calçadas? O proprietários dos imóveis no trecho de sua fachada. Isto é, o cidadão faz os reparos que deveriam ter sido feitos pelas concessionárias.

Saudade dos espaços públicos de Portugal. Só eles podem ser provas dos belíssimos painéis em que foram inspirados os passeios públicos da cidade de São Sebastião do Rio de Janeiro.

Choque de ordem...

Motoristas de táxi queixaram-se de que guardas municipais cobraram para permitir que se aproximassem do Rock in Rio para pegar passageiros. Por isso, os motoristas só aceitaram fazer corridas a preço (alto) prefixado, o chamado "tiro".

Nesse confronto de ladrões, só há um perdedor certo: o cidadão.

... e de desordem

A Comlurb, empresa municipal responsável pelo recolhimento na cidade do Rio, cuidou da limpeza do espaço, não público, ocupado pelo Rock in Rio. E os garis cuidaram de tudo, como se estivessem em espaços públicos da cidade. As lixeiras espalhadas pelo espaço do evento dos Medina, claro, também eram da Comlurb. Idênticas às que são encontradas nas ruas.

Neste caso, também, um pagante certo: o cidadão.

Se bem que, os responsáveis pelo Rock in Rio juram que vão “doar” as lixeiras para as áreas que estão sendo pacificadas nos morros do Rio.

Meno male!

Polêmica nacional

A ministra Iriny Lopes, da Secretaria de Políticas para Mulheres (SPM, e não TPM), quis, até agora sem sucesso, tirar a lingerie de Gisele Bündchen do ar, e não no ar. Ah, bom! Para alguns...

Aberta a polêmica em torno do anúncio da Gisele Bundchen, esquecemo-nos de um personagem essencial da história: o perverso
editor de O Globo, que estampou, na primeira página, as fotos da proibidora e da proibida, lado a lado.

Aliás, nessa polêmica sugere-se pedir a opinião dos especialistas Silvio Berlusconi e Strauss-Kahn.

registrado em: