Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Ministério do Trabalho interdita nove guindastes do estádio do Corinthians

Sociedade

Copa do Mundo

Ministério do Trabalho interdita nove guindastes do estádio do Corinthians

por Agência Brasil publicado 28/11/2013 21h31
Na quarta-feira, um acidente deixou dois operários mortos

A superintendência do Ministério do Trabalho em São Paulo interditou nesta quinta-feira 28 nove guindastes usados nas obras do estádio Corinthians, um dia após um dos equipamentos ter caído e provocado a morte de dois operários.

De acordo com nota divulgada pelo órgão, o uso dos guindastes será liberado somente após a Construtora Odebrecht, responsável pela obra, apresentar documentos que comprovem a manutenção preventiva e corretiva dos equipamentos, adoção de procedimentos de segurança e capacitação dos trabalhadores que operam esse tipo de equipamento.

"Assim que a empresa comprovar a segurança na movimentação de cargas, as medidas de proteção que serão adotadas e que não há mais riscos de acidentes, haverá liberação por parte do Ministério do Trabalho", diz a nota. A construtora terá ainda que providenciar plano de retirada das estruturas danificadas com o acidente.

Representantes do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção Pesada, Infraestrutura e Afins do Estado de São Paulo (Sintrapav SP), do Ministério Público de São Paulo, do Ministério do Trabalho, do Instituto de Criminalística e da Defesa Civil vistoriaram nesta quinta-feira a obra do Itaquerão, como é conhecido o estádio.

Também em nota, a Construtora Odebrecht e o clube Corinthians informaram que irão apresentar os documentos solicitados pelo ministério "no mais breve prazo de tempo possível".

A empresa e o clube disseram que a interdição dos guindastes não afeta a retomada dos trabalhos no canteiro de obras a partir da próxima segunda-feira (2). "Os trabalhos que não necessitam utilizar guindastes serão executados normalmente, excetuada a área interditada pela Defesa Civil -- correspondente a 30% do prédio Leste e a menos de 5% da área da arena. Exemplos de trabalhos que não utilizam guindastes são instalações elétricas e hidráulicas, de assentos definitivos, de revestimentos de pisos, paredes e forros e de sistemas de som. Também os trabalhos de acabamento nas áreas externas da arena, como acessos para veículos e torcedores, estacionamentos e muros, prosseguirão normalmente", diz a nota.