Sociedade

Lançamento em São Paulo

Impacto de obras na Amazônia é tema de livro-reportagem

por Redação — publicado 13/12/2013 05h40, última modificação 13/12/2013 06h48
Agência Pública lança neste sábado em São Paulo livro mostrando como os investimentos em infraestrutura afetam as comunidades da região
Agência Pública

A Agência Pública de Reportagem e Jornalismo Investigativo lança neste sábado 14 o "Amazônia Pública", livro-reportagem sobre o impacto das obras e dos megainvestimentos na Amazônia na vida dos moradores da região. O livro traz a compilação de uma série de reportagens sobre o tema, originalmente publicadas no final de 2012, além de dois textos inéditos sobre desmatamento e sobre a região do rio Tapajós.

O lançamento do livro-reportagem acontecerá na Praça Roosevelt, em São Paulo, a partir das 16h30 e contará com debates, exibição de material audiovisual, além da distribuição gratuita de exemplares. Para a produção da publicação, que contou com o apoio da fundação internacional CLUA (Climate and Land Use Alliance), um total de 14 jornalistas divididos em três equipes fizeram investigações entre julho e outubro de 2012 sobre os investimentos em infraestrutura e exploração de recursos minerais que alteraram profundamente as regiões do pólo de mineração em Marabá (PA), da bacia do rio Tapajós (PA) e do rio Madeira (RO).

Marina Amaral, diretora de jornalismo da Agência Pública, explica que durante a realização da série, os repórteres perceberam que a população da Amazônia é excluída do debate sobre as alterações que a região vem sofrendo com os vultosos investimentos públicos e privados. "As pessoas não participam de nenhuma escolha que está sendo feita. E são escolhas irreversíveis", afirma. "(Os investimentos) não levam desenvolvimento para aquelas comunidades. Se retira, se explora, mas não se deixa nada de legado."

Amaral também aponta para a ausência de um levantamento social realmente comprometido com as comunidades, que sofrem diretamente com a construção de rodovias, usinas hidrelétricas, expansão de portos marítimos e fluviais e aeroportos. "O discurso é sempre o de que se está levando progresso para a região. Mas você vai a um lugar em que isso já aconteceu, onde as obras já foram realizadas, e não houve progresso. Houve inchaço populacional."

O projeto para a série de reportagens nasceu em 2011, fruto da necessidade de tornar os investimentos da Amazônia uma pauta pública. Uma pesquisa realizada pela Andi, organização sobre Comunicação e Direitos, com base na análise de 44 jornais e 4 revistas entre 2007 e 2012, mostra que de todas as notícias publicadas sobre o desmatamento da Amazônia, apenas 14,2% são fruto de trabalhos gerados por iniciativa da própria imprensa e somente 1% do material pode ser considerado jornalismo investigativo. "Tratar sobre a Amazônia é caro, é incômodo e é perigoso", afirma Amaral.

No sábado, o lançamento do livro terá uma mesa de discussão das 16h30 às 18h30 sobre o tema "O projeto de desenvolvimento da Amazônia e seu impacto nas populações locais", com Danilo Chammas (representante da rede Justiça nos Trilhos), Célio Bermann (IEE – USP), Adriana Ramos (Instituto Socioambiental) e Nilo D’Ávila (Greenpeace).

Após o debate, serão exibidos vídeos e fotos do projeto e depoimentos de pessoas ligadas à cultura da Amazônia, entre elas Aurélio Michiles, Milton Hatoum e Fafá de Belém. Eles respondem à questão: "Qual Amazônia você quer?" Após às 19 horas, acontece a festa de encerramento com DH Madruga apresentando set especial com músicas típicas da região.

***************************************

Lançamento do livro "Amazônia Pública"

Praça Franklin Roosevelt, Consolação - São Paulo

Dia 14/12 a partir das 16h30

registrado em: