Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Educação para o futuro em Cingapura

Sociedade

Opinião

Educação para o futuro em Cingapura

por Paulo Yokota — publicado 13/10/2014 14h59
Respeitada universidade criada em colaboração com o norte-americano MIT já enviou dois alunos para estágios na Embraer
Divulgação
Chong Tow Chong

Professor Chong Tow Chong da SUTD Singapore University of Technology and Design

Visando entender um pouco do que se deslumbra para o futuro na educação em Cingapura e na Ásia e o que pode ser aproveitado para países emergentes como o Brasil, visitamos a nova SUTD - Singapore University of Technology and Design. O professor Chong Tow Chong é o seu provost, que poderia ser traduzido como reitor. Ele é natural daquele país, sendo de origem chinesa, e é casado com uma brasileira de origem japonesa, também professora universitária de idiomas em outra universidade importante daquele país/cidade. O currículo do professor Chong é invejável, pois é diplomado em engenharia na Technology Institute of Tokyo, no Japão, com mestrado de engenharia na National University of Singapore e doutorado (Sc.D) no MIT – Massachusetts Institute of Technology dos Estados Unidos.

Ele tem uma carreira acadêmica impressionante de mais de 30 anos como professor de Electrical and Computer Engineering da National University of Singapore, sendo autor e coautor de mais de 700 artigos em revistas científicas de prestígio internacional, mais de 5 mil citações em outros artigos da mesma categoria e possui 23 patentes importantes. Todos os acadêmicos sabem que eles são julgados internacionalmente por estes dados. Ele é considerado pioneiro mundial nas pesquisas com materiais fotônicos avançados e de memória não volátil da próxima geração (tradução livre de “pioneering research in advanced photonic materials and the next generation non-volatile memory”). Tem visitado o Brasil com alguma frequência.

Esta nova Universidade SUTD foi criada pelo governo de Cingapura em 2012 com a colaboração com o MIT dos Estados Unidos, onde seus alunos podem efetuar pesquisas e programas de intercâmbio. Eles também fazem intercâmbio com a ZJU - Zhejiang University da China, que já figura como a quarta em importância naquele país, bem como com a SMU Singapore Management University.

A SUTD dá importância destacada com a prática dos estudos efetuados, sendo que as aulas são ministradas nos laboratórios e nas oficinas com as execuções dos trabalhos pelos alunos, seguida da discussão do assunto que denominam de capstone entre todos os participantes, com grande importância para o que chamam de hass, ou seja, um banho de realidade.

Capstone seria a culminância de um desafio apresentado que permite aos alunos trabalhar de forma interdisciplinar em uma equipe, para projetar, implementar, testar, completar um documento ou um sistema para executar utilizando o software ou hardware. Hass seria os conhecimentos de humanidades, artes e ciências sociais que determinam as restrições existentes que precisam ser respeitadas nos trabalhos, decorrentes da economia e do meio ambiente em que atuam.

Os cursos contam com quatro pilares básicos, e os alunos têm liberdade para complementá-los dentro de suas preferências: o de arquitetura e projetos sustentáveis (architecture and sustainable design), o de engenharia de desenvolvimento de produtos (engineering product development), o de projetos de engenharia de sistemas (engineering systems and design) e o de projeto de sistemas tecnológicos de informações (information systems technology and design).

O cronograma dos cursos é dividido por trimestres, havendo espaços para execução de trabalhos individuais ou coletivos. No chamado Summer Times, os seus alunos vão para mais de 300 empresas de importância mundial, onde fazem intercâmbios ou estágios. Dois deles estiveram na EMBRAER trabalhando no projeto e na execução do interior das aeronaves, observando que os sistemas de trabalho dos brasileiros são mais descontraídos, diferentes dos de Cingapura. Conseguem elevadas qualidades trabalhando em equipes, com alegria.

Trabalharam numa equipe de 56 componentes contando um orientador durante quatro meses, considerando a política, economia, aspectos sociais, tecnológicos, legais e considerações ambientais do Brasil, dentro das limitações impostas pelo FAA – Federal Aviation Administration dos Estados Unidos.

Fora do trabalho, visitaram outras instituições que atuam no Brasil neste segmento e ficaram impressionados do orgulho dos brasileiros com o seu País, além de participarem de algumas churrascadas e chopadas. Revelam no seu depoimento que desejam voltar ao país, inclusive para eventos esportivos internacionais.

A SUTD ocupa atualmente um espaço junto à outra grande universidade de Cingapura, mas já conta com o seu novo campus construído para o qual deve se mudar no próximo ano. Conta com cerca de 30% de estudantes provenientes de outros países, notadamente asiáticos. Considera a possibilidade de aceitar brasileiros para o seu doutoramento, o que seria uma grande oportunidade de intercâmbio, o que pode ser feito também como no caso da EMBRAER.

registrado em: ,