Você está aqui: Página Inicial / Sociedade / Coronel Telhada vira herói de história em quadrinhos

Sociedade

Polícia Militar

Coronel Telhada vira herói de história em quadrinhos

por Redação — publicado 27/06/2014 16h35, última modificação 27/06/2014 18h35
O vereador e ex-comandante da ROTA (tropa da PM paulista) é o idealizador e o protagonista da revista que, segundo ele, mostra “os policiais que mantêm a ordem das nossas cidades”
telhada-capa.jpg

Paulo Adriano Lopes Lucinda Telhada, o Coronel Telhada, vereador paulista pelo PSDB, agora é herói de revista em quadrinhos. A revista, lançada pela editora Atreyu Studios, visa mostrar ao público infantil a vida de um policial militar e será lançada nas bancas de São Paulo e do Rio de Janeiro.

O idealizador do projeto é o próprio vereador. Em entrevista ao site especializado Universo HQ, o vereador explicou que uma das inspirações foi o sucesso do personagem Capitão Nascimento, protagonista de Tropa de Elite e Tropa de Elite 2, de José Padilha. Ex-comandante da Rota, Telhada é um dos mais ativos defensores da Polícia Militar e de ações mais "duras" contra "bandidos". Em 2012 estimulou reações de membros da corporação contra o jornalista André Caramante, então repórter da Folha de S.Paulo, que costumava denunciar o comportamento violento da PM paulista e, ameaçado de morte, chegou a ter que morar fora por quase um ano com sua família.

Fora da Polícia Militar, Telhada entrou na política, filiou-se ao PSDB e foi eleito com quase 90 mil votos em São Paulo, sendo o quinto vereador mais votado em 2012. Apostando no apoio popular ao seu estilo, as tramas da HQ serão baseadas na vida do Coronel antes de se tornar político e serão revisadas por policiais militares. A chamada na capa da primeira edição diz: “Duas ocorrências policiais inéditas.”

Telhada admite gostar de quadrinhos, mas diz que não enxerga uma representação de heróis cotidianos nos quadrinhos. “Sempre senti falta de uma revista que mostrasse os heróis do dia a dia, os policiais que mantêm a ordem das nossas cidades.” conta ao Universo HQ. “Resolvemos, então, começar com histórias de quando eu estava no Tático Móvel. São ocorrências que envolvem crimes como roubo e sequestro (...) há páginas comigo criança, nos anos 1960, assistindo a um desfile da Guarda Civil; cenas minhas nos dias atuais, em plenário, como vereador; e as duas ocorrências policiais em si, que se passam nos anos 1990.”

A escolha do desenhista Carlos Sneak para o projeto ocorreu por meio do Facebook. O preço da publicação será, inicialmente, R$ 5,00. Telhada disse que é necessário vender ao menos 3 mil exemplares para não ter que pagar multa para a distribuidora. E, em um possível segundo volume, a ideia é contar as histórias da ROTA, pelotão de elite da PM da qual Telhada foi comandante até 2011.