Você está aqui: Página Inicial / Saúde / Médicos cubanos vêm aí

Saúde

Importação de estrangeiros

Médicos cubanos vêm aí

por André Barrocal publicado 05/08/2013 17h18
Nova etapa de seleção do Mais Médicos prioriza estrangeiros, e Brasil já tinha acordo prévio com Cuba. Por André Barrocal

A empresa estatal de aviação de Cuba, a Cubana de Aviación, inaugurou no mês passado um vôo semanal direto ligando a ilha ao Brasil. O objetivo é atrair os turistas nacionais, conhecidos pelo bolso aberto no exterior. Nas próximas semanas, a rota promete ficar intensa. E não será por causa do turismo. O governo brasileiro prepara-se para abrir as portas do País a milhares de médicos cubanos.

Os doutores participarão do recém-lançado programa Mais Médicos, com o qual o governo quer atacar a falta de profissionais em cidades pobres e distantes das metrópoles. A primeira etapa de seleção, que priorizava brasileiros, recebeu 18,4 mil inscrições, mas só 4,6 mil se efetivaram (uns 25%). As inscrições que foram descartadas não tinham número correto do registro profissional. O ministério da Saúde desconfia de fraude. As entidades da categoria boicotam o programa.

Uma nova fase de inscrições será iniciada nos próximos dias, e desta vez a mira será apontada a estrangeiros. Antes de lançar o programa, em julho, o Brasil já tinha um entendimento prévio com Cuba. Pelas negociações, poderá haver a cessão de até seis mil médicos cubanos. Em troca, o governo da ilha ficará com uma parte do salário deles. A remuneração prevista no Mais Médicos é de 10 mil reais mensais.

O novo acordo assemelha-se a um selado no segundo mandato do ex-presidente Fernando Henrique, quando cubanos vieram trabalhar na Amazônia. “A experiência valeu à pena, eles deixaram saudade. Se voltarem, serão bem-vindos”, diz o deputado petista Sibá Machado, do Acre, um dos estados onde houve a colaboração. “Eles foram levados aos municípios mais distantes para trabalhar com atenção à saúde e ajudaram a implantar o programa saúde da família.”

A medicina cubana é reconhecida mundialmente pela qualidade no atendimento básico, aquele do cotidiano, justamente o foco do Mais Médicos. A Arábia Saudita anunciou na semana passada um acordo parecido com a ilha, por exemplo. A Venezuela também tem um acerto similar, responsável pelo programa social mais bem avaliado do país.