Você está aqui: Página Inicial / Saúde / Ganhos do esporte

Saúde

Terceira idade

Ganhos do esporte

por Riad Younes publicado 26/07/2010 13h20, última modificação 28/07/2010 16h55
Oncologistas recomendam aos pacientes com câncer evitar o sedentarismo

Oncologistas recomendam aos pacientes com câncer evitar o sedentarismo

O tratamento de pacientes portadores de tumores malignos abrange uma gama muito grande de modalidades: cirurgia, radioterapia (tratamento com radiação para destruir o tumor), quimioterapia convencional (tratamento com medicamentos para controlar os tumores e matar as células malignas), imunoterapia (tratamento que induz uma reação do sistema de defesa do organismo contra as células tumorais) ou uma associação dessas terapias. Muitos pacientes obtêm resultados positivos. Entre 50% e 60% vivem mais de três ou cinco anos após o término dos tratamentos, sem evidência de doença maligna detectável.
Os médicos oncologistas, especialistas no tratamento dos tumores, se esforçam para oferecer o tratamento mais adequado para cada paciente. Mas o que os pacientes poderiam fazer para melhorar suas chances de cura e controle da doença? Para responder a esta pergunta, um grupo de pesquisadores e especialistas, liderados pela professora Kathryn Schmitz, da Universidade da Pensilvânia, se reuniu a fim de encontrar evidências científicas que sugerissem ações eficientes. Após alguns anos de estudos e discussões, os especialistas publicaram recentemente, na revista médica Medicine and Science in Sports and Exercise, as suas indicações.

Em resumo, a recomendação é para que os pacientes com câncer evitem o sedentarismo, mesmo durante o tratamento da doença. Se o oncologista não se opuser, os pacientes devem manter suas atividades físicas. Os estudos avaliados nesta pesquisa mostram que a atividade esportiva oferece vantagens tão claras para os pacientes com câncer quanto para aqueles que se curaram e receberam de seus médicos a recomendação do exercício físico como absoluta.
Por outro lado, ficou claro nesta publicação que pouco se sabe sobre os mecanismos exatos responsáveis pelos benefícios do exercício físico. Os esportistas com câncer têm melhor qualidade de vida, respondem mais frequentemente aos tratamentos e apresentam menor incidência de recidiva tumoral ou de aparecimento de novos cânceres. Apesar disso, exercício regular deve ser mantido ou iniciado por portadores de tumores malignos.

Exercício no reumatismo

Se o exercício físico é fundamental para os pacientes com câncer, que obtêm benefícios óbvios e significativos, o mesmo não se aplica totalmente aos pacientes com um tipo de reumatismo chamado artrite reumatoide. Um estudo recentemente publicado na revista Arthtritis Care Research, realizado por cientistas franceses da Faculdade de Medicina da Universidade de Grenoble, liderados pelo pesquisador Athan Baillet, avaliou o impacto do exercício aeróbico nos sintomas, na evolução e na qualidade de vida de doentes reumáticos. Após estudos extensos com mais de mil pacientes com artrite reumatoide, verificou-se que a atividade cardiovascular aeróbica melhorou a qualidade de vida e a intensidade dos sintomas de dor, quando comparada ao grupo de pacientes que não aderiu ao treinamento físico. O exercício aeróbico orientado foi seguro, no sentido de não causar piora do quadro de limitações articulares nesse grupo de doentes. Mas os cientistas não encontraram um efeito benéfico grande. Acreditam que o esporte aeróbico possa melhorar a qualidade de vida desse grupo de pacientes, mas alertam que não se deve esperar impacto muito intenso. Os cientistas sugerem, ainda, que o paciente discuta com o próprio médico o melhor tipo de exercício antes de iniciar um programa de treinamento, além de manter as expectativas em níveis realistas, sem entusiasmo excessivo.

registrado em: