Você está aqui: Página Inicial / Revista / A fatura paga / Os novos sócios de CartaCapital
Número 924,

Tecnologia

Projeto digital

Os novos sócios de CartaCapital

por Manuela Carta* — publicado 21/10/2016 12h51, última modificação 03/11/2016 13h04
O projeto que estreia em janeiro transformará os assinantes em parceiros na definição dos conteúdos e na manutenção de nossos princípios jornalísticos
Projeto digital

Os tempos atuais exigem participação mais efetiva no debate diário dos dilemas brasileiros

O tsunami da revolução tecnológica fez várias vítimas pelo caminho e continuará a produzi-las ao longo das próximas décadas. Ícones do jornalismo impresso simplesmente desapareceram ou tiveram de se reinventar.

O diário britânico The Independent e a revista norte-americana Newsweek são dois dos mais notórios casos de publicações que migraram em definitivo para a versão digital em busca de sobrevivência. Outros tantos meios de comunicação testam fórmulas, mais ou menos bem-sucedidas, para resistir aos novos tempos e exigências dos leitores.

Por incrível que pareça, a overdose de informação, notícias e boatos não vai matar o jornalismo. Ao contrário. Nunca pareceu tão essencial a existência de uma mídia profissional, comprometida com a verdade factual, disposta a respeitar a inteligência do leitor e servir de guia em um ambiente no qual, não raro, os fatos valem tanto ou menos que as fofocas.

CartaCapital nasceu há 22 anos inspirada nesses princípios. Em 2001, em meio à grave crise econômica que atravessava o País, tornou-se semanal. Não por acaso, a editora que publica esta revista estampa o nome de Confiança. Incontáveis percalços nunca arrefeceram o nosso ânimo, antes reforçaram os compromissos que norteiam a nossa existência desde a primeira edição, em agosto de 1994.

Entendemos ter chegado a hora de reafirmar esses compromissos, sobre outras bases. CartaCapital prepara-se para singrar, como Ulisses, os oceanos revoltos do mundo digital, sem descuidar da versão impressa. A revista em papel continuará a existir, enquanto fizer sentido para os leitores e para nós. A internet exige, porém, outra postura e dedicação.

A maior vantagem da competição na rede é a brusca redução das barreiras de entrada. Blogs, youtubers e poderosos veículos tradicionais disputam a atenção do público em uma quase igualdade de condições. A inovação, a rapidez e a criatividade fazem frente à tradição. Desafiador e instigante ao mesmo tempo.

O momento político brasileiro também nos convoca a uma reavaliação da presença na internet. Parcela importante da sociedade não se sente representada pelo grupo político que assumiu o poder após o golpe contra Dilma Rousseff.

Uma onda reacionária visa calar as vozes dissonantes e excluir do debate público quem pensa diferente. Propostas como o Escola sem Partido ou as agressões públicas àqueles identificados com o pensamento progressista não deixam dúvidas sobre a intenção dos novos donos do poder e o espírito do tempo. Os ideais iluministas do jornalismo nunca foram tão essenciais.

Por sua história e credibilidade, CartaCapital habilita-se a catalisar os anseios dessa parcela da sociedade que se sente alijada e sem voz. A partir de janeiro, mudaremos de forma radical nossa presença na internet. O crescimento do site da revista nos últimos anos, apesar dos parcos investimentos, nos anima a apostar em um salto quântico.

O objetivo é evoluir para um modelo de portal de notícia, análises e entretenimento que abrigue a diversidade de pensamento, dê voz às minorias, consolide um espaço diário e fundamental de debates sobre a realidade e estimule a produção audiovisual inovadora.

Não estaremos sós. O novo portal reunirá nomes referenciais em vários campos do conhecimento, da economia à cultura, dos direitos humanos à política. Embora divergentes em certos aspectos, os sites, blogs e colunistas incorporados ao projeto comungam dos mesmos valores: igualdade de oportunidades, democracia, criação de um projeto nacional, bom uso do dinheiro público, desenvolvimento sustentável, liberdades individuais.

Nesta nova fase, os assinantes terão um papel central. Aliás, para nós, deixarão de ser “apenas” assinantes. Passarão à condição de “sócios” de um projeto de jornalismo independente e comprometido com os valores de uma sociedade moderna, plural e madura.

Novos produtos serão oferecidos. Os atuais assinantes, sejam da versão impressa, sejam da digital, continuarão a receber regularmente a revista, mas terão à disposição, sem custo adicional, uma nova leva de informações distribuídas em formatos diferentes e amplificadas pelas novas ferramentas de comunicação. Nossos reconhecidos especialistas, associados a novos colaboradores convidados a integrar o projeto, produzirão análises exclusivas e embasadas em política, economia e cenário internacional.

Os “sócios-assinantes” terão voz ativa na produção do conteúdo digital. Possibilidade de publicar artigos, acesso exclusivo às áreas de comentários e participação em “reuniões de pauta” periódicas vão garantir a participação ativa.

Os privilégios estendem-se a seminários, debates e cursos oferecidos pela editora, bem como às edições especiais, colecionáveis e outras publicações a serem criadas. Os “sócios” terão ainda acesso a um amplo clube de vantagens, de ingressos em espetáculos culturais a ofertas em restaurantes, viagens, museus, hotéis e serviços na internet.

Prometemos radicalizar a relação de transparência com os leitores. Relatórios periódicos enviados aos “sócios” detalharão o uso dos recursos arrecadados por meio das assinaturas. Os associados serão parte essencial no planejamento anual dos investimentos e nos ajudarão a definir as prioridades econômicas e editoriais.

O coração da nossa estratégia é o vínculo estreito com os leitores fiéis, mais importantes do que qualquer anunciante ou influências políticas. Uma parcela importante dos cidadãos, temos certeza, compreende a necessidade de sobrevivência de um jornalismo profissional e honesto e anseia por um mínimo de pluralidade de informação e opinião, valores basilares da civilização.

Os interessados em mais informações podem entrar em contato pelo e-mail [email protected] ou acessar a página do novo projeto digital

*Publisher de CartaCapital