Você está aqui: Página Inicial / Revista / Lava Jato a toda / Em números, a injustiça de gênero no Brasil
Número 878,

Sociedade

Desigualdade

Em números, a injustiça de gênero no Brasil

por Redação — publicado 27/11/2015 15h04, última modificação 28/11/2015 00h38
País é lider na disparidade entre os salários de homens e mulheres
iStockPhoto
Desigualdade

Mulheres com diploma ganham o equivalente a 62% do salário médio dos homens

Ao lado do Chile, o Brasil ocupa o primeiro lugar do ranking de disparidade entre os salários de homens e mulheres.

Um relatório da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico divulgado na terça-feira 24 aponta que o salário médio de uma mulher brasileira com nível superior corresponde a 62% da renda mensal de homens com a mesma escolaridade.

O levantamento apontou que o Brasil é o país com a maior diferença salarial entre cidadãos com diploma universitário em comparação àqueles com grau de instrução inferior. A disparidade corresponde ao triplo da média da realidade de 42 países analisados pela OCDE.

A desigualdade de gênero também se manifesta nesse quesito: 72% de homens que possuem um diploma universitário ganham mais de duas vezes a média da renda nacional. Entre as mulheres, a taxa cai para 52%.

Ao menos o investimento em educação tem crescido no País. O Brasil destaca-se como a quarta nação que mais ampliou seus gastos no setor entre 2000 e 2009. Segundo o estudo, os investimentos públicos de educação cresceram de 10,5% para 16,8% no período.

*Publicado originalmente na edição 878 de CartaCapital, com o título "Injustiça de gênero"

registrado em: , ,