Você está aqui: Página Inicial / Revista / Cunha no aperto / Tá estranho
Número 864,

Cultura

Papinho Gourmet

Tá estranho

por Marcio Alemão publicado 30/08/2015 09h00
Feijão com arroz não certificado pelo ministério da arrogância, cachorro-quente sem pedigree e nenhuma cerveja artesanal. O Gourmet Free também é bom
Glenn Van Der Knijff/Getty Images

-Ainda não concluí se tá mais para o esquisito, para o chato ou o ridículo.

– Estamos falando do quê?

– O mundão.

– Um pouco de tudo.

– O mundo das restrições.

– Bom pra ter ideia. 

– Já tem açougue e churrascaria com placa de glúten free e lactose free.

– Tem outra parada rolando: japa bacana tem de ter rodízio.

– A molecada gosta

– A molecada tomou conta. 

– Sabe o que tá faltando?

– Bom senso.

– Além dele.

– Pergunta retórica, né?

– Vou te falar: rodízio volta ao mundo.

– Soa bem

– E como a ignorância se  alastrou, você vai mandando peixe e arroz e uma hora diz que é japa, depois thai, peru, korean.

– Joga um pouco de leite de coco, gengibre.

– E tem robata, que é pra você entrar com os quentes.

– Robata são aqueles espetinhos, que em 99,9% dos restaurantes japas são uma roubada, certo?

– Certíssimo. Não era, mas virou.

– Por conta da molecada.

– Molecada com grana.

– No meu tempo moleque comia X-burguer fininho e o preço também era fininho.

– Não era gourmet.

– Mais uma vez por conta da molecada endinheirada.

– Mas volta pro espetinho.

– Espetinho de picanha pra quem tem restrição a glúten

– Asinha de frango sem lactose.

– Pizza Margherita sem glúten, sem lactose e com manjericão orgânico.

– Pensou em pegar uma contramão forte? Um local chamado Morte Certa ou Gourmet Free.

– Morte Certa é bom. Gordura animal, glúten, bons queijos.

– Parece piada, mas já tem gente na trilha. O Gourmet Free é muito bom. Hambúrguer fininho, feijão com arroz não certificado pelo ministério da arrogância tatuada e do engodo gastrô; picolé de groselha, cachorro-quente sem pedigree, macarronada com molho de tomate e músculo, churrasquinho de bife no pão francês com vinagrete. E sem nenhuma cerveja artesanal.

– Fracasso certo.

– Claro. Imagine isso em uma nação totalmente gourmetizada como a nossa.

– Não só gourmetizada, mas consciente da importância do orgânico, do fim do glúten, de tudo que afeta de maneira nociva nossa saúde.

– Serão todos centenários.

– Taí um bom castigo.