Você está aqui: Página Inicial / Revista / O governo no breu / Nintendo no celular
Número 842,

Tecnologia

Smartphone

Nintendo no celular

por Felipe Marra Mendonça publicado 24/03/2015 04h30
A japonesa desenvolverá jogos para smartphones
Daniel/Flickr
Nintendo

Na terça-feira 17, a Nintendo anunciou em Tóquio a parceria com a DeNA para desenvolver jogos para smartphones

A semana trouxe duas notícias interessantes sobre a interseção entre os mundos da tecnologia e do entretenimento. Na terça-feira 17, a Nintendo anunciou em Tóquio a parceria com a também japonesa DeNA para desenvolver jogos para smartphones. Parece algo bastante razoável para uma empresa de jogos eletrônicos, mas é importante lembrar o histórico da Nintendo e a sua obsessão em controlar todos os aspectos da sua criação.

Ao contrário de suas principais concorrentes, como a Sony ou a Microsoft, a Nintendo tem como modelo de negócios criar consoles e depois desenvolver os melhores jogos possíveis para eles, com pouca participação de outros desenvolvedores, exceto alguns parceiros japoneses tradicionais. Isso assegura tanto um bom lucro quanto a alta qualidade dos jogos. Quem quer jogar Mario, Zelda ou Donkey Kong sabe qual marca deve comprar e que esses títulos não são encontrados em qualquer lugar.

É por isso que a entrada da Nintendo no mercado de smart-
phones é tão surpreendente. A
parceria com a DeNA, empresa líder no mercado de jogos para plataformas móveis no Japão, é benéfica para os dois lados. A Nintendo entra no mercado doméstico com uma empresa que entende profundamente do negócio de jogos para smartphones, enquanto a DeNA associa-se a uma marca mundialmente conhecida, permitindo uma expansão global. “O fato é que esse é um mercado muito competitivo e poucos provedores de conteúdo alcançaram resultados duradouros. Se a Nintendo não consegue chegar a esse nível, então não faz qualquer sentido para que entremos no mercado de software para smartphones”, disse Satoru Inata, atual presidente da empresa. E como entraram, jogos bons devem vir por aí.

Outra companhia japonesa, a Sony, anunciou, na quarta-feira 18, o lançamento do Playstation Voe para os consoles Playstation 3 e 4 nos Estados Unidos. O serviço de streaming de televisão será testado inicialmente em Nova York, Chicago e Filadélfia, com preços entre 50 e 70 dólares por cerca de 80 canais de tevê. O preço é semelhante aos pacotes tradicionais de tevê a cabo no país, mas é um bom começo para quem não quer mais lidar com as companhias provedoras do serviço, conhecidas pelo péssimo atendimento ao consumidor. Seria muito bom se a Sony pensasse numa solução semelhante para o mercado brasileiro.