Você está aqui: Página Inicial / Revista / Petrobras na tormenta / Um coronel perigoso
Número 832,

Sociedade

Rio de Janeiro

Um coronel perigoso

por Redação — publicado 10/01/2015 08h27
Comandante do Bope é exonerado por apologia ao nazismo

O secretário de Segurança Pública do Rio de Janeiro, José Mariano Beltrame, exonerou na segunda-feira 5 o coronel Fábio de Souza, comandante do Batalhão de Choque. A decisão ocorreu após a revelação de um inquérito da Corregedoria-Geral da PM no qual o oficial é acusado de incitar a violência policial contra manifestantes durante os protestos ocorridos em 2013. Além disso, em mensagens de celular, ele e outros policiais atacavam o tenente-coronel Márcio Rocha, ex-comandante do Choque, cuja residência foi atingida por 14 tiros em janeiro de 2014.

Em uma das mensagens trocadas pelo aplicativo WhatsApp, o coronel vangloriava-se por ter atingido um black bloc pelas costas com uma bomba de efeito moral. Em outras, Souza e seu grupo faziam clara apologia ao nazismo. “Viva a raça sem defeitos”, “Padrão Alemanha de 1930”, “Coronel Fábio pela instauração do Reich!”, “É a vontade do Fuhrer!” Diante das revelações, o desembargador Siro Darlan ponderou que os manifestantes que utilizaram táticas violentas podem ter agido em legítima defesa. “Eles usavam fogos de artifício para se defender.”

registrado em: ,