Você está aqui: Página Inicial / Revista / Na capital do Estado Islâmico / "Homens, Mulheres e Filhos" e o amor na internet
Número 829,

Cultura

Cinema

"Homens, Mulheres e Filhos" e o amor na internet

por Orlando Margarido — publicado 06/12/2014 08h00
Novo filme do diretor Jason Reitman trata da relação entre a rede e as famílias
Divulgação
 "Homens, Mulheres e Filhos"

Brandy (Kaitlyn Dever), liberdade vigiada

Homens, Mulheres e Filhos
Jason Reitman

Jason Reitman usa os grotões mais conservadores dos EUA como laboratório para se especializar nos revezes contemporâneos. Em Jovens Adultos, deixou Charlize Theron feia para viver a escritora fracassada que volta à sua cidade. Em Homens, Mulheres e Filhos, redes sociais e aditivos lhe servem para registrar a relação dependente entre adolescentes e como os pais lidam com ela, quando não são eles mesmos suscetíveis ao encanto virtual.

Tais apelos vão da pornografia a encontros anônimos. Não menos controverso, o videogame é o refúgio para Tim (Ansel Eldgort) após o abandono da mãe. Encontrará par ideal em Brandy (Kaitlyn Dever), coibida por vigilância materna. O comportamento do casal soa inocente perto dos colegas, uma anoréxica iludida na primeira transa ou a que busca fama fácil. A partir do livro de Chadk Kultgen, Reitman atenta a peculiaridades significativas do Texas, como  a escola envolta na segurança de uma prisão.

registrado em: ,