Você está aqui: Página Inicial / Revista / Eike desmancha: o que sobra do império X / Andrea Matarazzo na mira
Número 769,

Política

Caso Alstom

Andrea Matarazzo na mira

por Redação — publicado 05/10/2013 06h08
A Justiça autoriza a quebra dos sigilos bancário e fiscal do tucano
Flickr / Andrea Matarazzo
Andrea

O vereador é suspeito de receber propina

A justiça federal, em São Paulo, decretou a quebra do sigilo fiscal e bancário de 11 indiciados no inquérito sobre a Alstom, entre eles o vereador de São Paulo e ex-secretário estadual de Energia Andrea Matarazzo, do PSDB, e os ex-dirigentes da estatal paulista EPTE Eduardo Bernini e Henrique Fingermann. Em uma manifestação de 47 páginas, o procurador da República Rodrigo de Grandis requisitou à delegacia da Receita informações sobre contas bancárias dos acusados no exterior entre 1997 e 2000. O inquérito apura se houve formação de quadrilha, corrupção ativa e passiva e lavagem de dinheiro.

O inquérito foi aberto em 2008 para apurar se a Alstom subornou políticos e servidores públicos em troca de contratos com empresas do setor elétrico e de transporte controladas pelo governo tucano nos anos 1990. A Polícia Federal entregou o relatório final em 2012. Um ano depois, o Ministério Público solicitou à Receita e ao Banco Central dados sobre os indiciados. A Justiça autorizou as medidas. De Grandis afirmou ser “necessário o prosseguimento das investigações no âmbito policial”.

registrado em: ,