Você está aqui: Página Inicial / Revista / Mídia vs. Estado de Direito / Um game blockbuster
Número 767,

Tecnologia

Tecnologia

Um game blockbuster

por Felipe Marra Mendonça publicado 23/09/2013 04h17, última modificação 23/09/2013 14h17
A criação do GTA V custou a bagatela de 256 milhões de dólares, tornando-se o jogo de videogame mais caro da história.
Saeed Khan / AFP
GTA V

Homem passa em frente à uma placa com a propaganda do GTA V, em Sidney. No jogo, uma Los Angeles de ficção e a sociedade dos EUA como espelhos

Quando a Rockstar Games, empresa criadora do Grand Theft Auto V (GTA V), reclamou na semana passada pela imprensa local que a Amazon britânica estava soltando cópias do jogo antes da data do lançamento, confesso que se iniciou um certo sobe e desce de escadas em casa para ver se tinha sido um dos sortudos a poder jogá-lo antes da terça-feira 17. Sobe e desce de escadas que se deu várias vezes ao dia, vários dias seguidos. Cinco lances de escadas, diga-se.

A expectativa pelo game foi repetida em vários outros lugares, principalmente nos Estados Unidos e no Reino Unido, onde compradores fizeram fila para adquirir o jogo à meia-noite. Um comprador de Londres conseguiu sua cópia, mas não teve tanta sorte no caminho de casa, quando passou por apuros que parecem parte do enredo do jogo. “A vítima fez sua compra e caminhava para casa quando foi atingido por um tijolo. Foi posteriormente apunhalado e assaltado”, disse um porta-voz da polícia local.

O entusiasmo geral por GTA V explica-se em parte pelos números associados a ele. É o jogo de produção mais cara da história, com cerca de 256 milhões de dólares gastos durante os quatro anos em que foi desenvolvido. O filme Batman: O cavaleiro das trevas, por exemplo, custou cerca de 230 milhões. Todo esse dinheiro reflete-se na qualidade da experiência.

A Rockstar agora coloca o jogador numa interpretação muito particular, porém bastante fiel, do sul da Califórnia (chamada de San Andreas), com seus desertos e montanhas e a cidade de Los Santos, sua versão de Los Angeles. Os personagens mostram a ansiedade atual em compartilhar tudo online ao usar as versões do Twitter (Bleeter) ou do Facebook (LifeInvader), a obsessão com o mais novo smartphone ao comprar seu iFruit (iPhone) ou a cena cultural rasteira mostrada no sucesso que a série de livros Cinquenta Tons de Cinza (Chains of Intimacy) faz entre as leitoras de Los Santos.

O que o GTA V consegue, no fundo, é inserir o jogador num mundo em que ele se perde sem achar o conteúdo em uma peça de ficção. Sim, os personagens têm uma vida criminosa e muitos criticam a série por esse tipo de conteúdo, mas poucos colocam a sociedade atual diante do espelho como fizeram os roteiristas da Rockstar.

registrado em: ,