Você está aqui: Página Inicial / Revista / Pela hora da morte / Memória judaica
Número 751, Junho 2013

Cultura

Cinema

Memória judaica

por Orlando Margarido — publicado 31/05/2013 11h17
Yossi & Jager é um drama que dá conta do desafio imposto a homens forçados ao exército
Divulgação
Mostra judaica

Mudança de Valores. Oz Zehavi e Ohad Knoller em Yossi, um dos destaques da mostra judaica

6ª Mostra Audiovisual Israelense
São Paulo
De 3 a 9 de junho

Faz uma década que o diretor Eytan Fox alcançou ressonância fora do circuito de filmes gays com Yossi & Jagger, um romance entre dois soldados de Israel lotados na fronteira com o Líbano. Além de um retrato intimista e psicológico desse amor, o drama dá conta de uma situação mais ampla de desafio que se impõe a esses homens forçados ao exército.

Fox retoma a história, agora apenas com Yossi, médico que depois da perda do amante leva vida insatisfatória até o encontro com um oficial, homossexual assumido. Representar a mudança de valores também pretende Yossi, um dos destaques da 6ª Mostra Audiovisual Israelense, entre 3 e 9 de junho no Centro da Cultura Judaica, Cine Livraria Cultura, Clube A Hebraica e Cinemark Pátio Higienópolis.

A reflexão, na forma de uma memória do passado, ou de uma situação atual, cabe em boa parte do calendário. Em Blank Bullet, de Haim Bouzaglo, a ficção dá conta do assassinato de Yitzhak Rabin. A guerra com o Líbano, em 1982, volta a ser investigada no encontro de um garoto palestino e um piloto israelense em Zaytoun, de Eran Riklis, o mesmo de Lemon Tree. As várias histórias e personagens contemporâneos em The World is Funny fizeram o filme de Shemi Zarhin se tornar o maior sucesso de 2012, enquanto Ponevesh Time traz com seu objeto documental uma rara visão.