Você está aqui: Página Inicial / Política / Viva o barulho

Política

Democracia

Viva o barulho

por Mauricio Dias publicado 02/10/2011 09h13, última modificação 02/10/2011 09h52
Uma análise sobre a democracia no Brasil, a corrupção e o conflito sobre a competência do Conselho Nacional de Justiça (CNJ)

A democracia é barulhenta. Movimenta-se. Não é paralítica, como diz Machado de Assis em crônica famosa do fim do século XIX.

Sob essa premissa é que Wadih Damous, presidente da OAB-RJ, analisa o cenário brasileiro, em que casos de corrupção se multiplicam e é destampado o conflito sobre a competência de o Conselho Nacional de Justiça (CNJ) agir como órgão correcional. Conflito iluminado pela ministra Eliana Calmon, do Superior Tribunal de Justiça, que rasgou o manto da hipocrisia: “Há bandidos escondidos atrás da toga”.

Damous fala dessa situação conturbada em que se insere a ministra.


“A democracia faz com que isso venha à tona. Essas práticas também aconteciam na ditadura, só que não havia Ministério Público livre, Congresso livre e, ademais, a imprensa estava amordaçada.”

Ele prossegue: “A impressão é de que só acontece agora. Mas o que vemos é algo arraigado
na administração pública desde a Colônia. O importante é que órgãos como o CNJ possam punir aqueles que se desviam da ética ou praticam irregularidades nas suas funções”.

Viva o barulho! Abaixo o silêncio!

registrado em: