Você está aqui: Página Inicial / Política / Tuitaço pede banda larga barata e critica mudanças no PNBL

Política

Telecomunicações

Tuitaço pede banda larga barata e critica mudanças no PNBL

por Rede Brasil Atual — publicado 21/06/2011 15h05, última modificação 21/06/2011 18h06
Internautas se mobilizas para pressionar o governo a fazer sua parte na construção da democratização das comunicações do país

Internautas se mobilizam para pressionar o governo a fazer sua parte na construção da democratização das comunicações do país. Ativistas ligados ao direito à comunicação promovem um tuitaço por banda larga barata e de qualidade nesta terça-feira 21. Com críticas às mudanças de rumo no Programa Nacional de Banda Larga (PNBL), a  campanha "Banda Larga é um Direito Seu!" cobra abertura de debate com a sociedade sobre os rumos da expansão do acesso à internet rápida.

Segundo o manifesto da Campanha, "o governo federal abriu mão de ter um Plano (para democratizar o acesso à internet)". Ainda de acordo com o texto, as metas estabelecidas são "genéricas e modestas". O Executivo federal é acusado de negociar "no varejo" apenas com empresas de telecomunicações, sem levar em conta outros setores. As concessionárias privadas pressionam o governo, ainda conforme os ativistas, com propostas de "venda casada" de serviços (de telefonia ou TV a cabo). Critica-se ainda o fato de o governo não ter fixado metas claras de tarifas, qualidade e universalização.

Em maio de 2010, o então presidente Luiz Inácio Lula da Silva lançou a meta de expandir a banda larga no país. A principal preocupação seriam cidades onde o serviço oferecido pelas empresas de telecomunicações privadas eram inexistentes ou excessivamente caros. A Telebras foi reforçada para ser um motor do PNBL. Mas desde o início do governo de Dilma Rousseff, o plano passou a sofrer críticas em decorrências de mudanças e da garantia de mais espaço para as companhias do setor.

No último fim de semana, durante o 2º Encontro Nacional dos Blogueiros Progressistas, o tema tomou boa parte dos debates. Em um deles, as respostas dadas pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, não satisfez a audiência.

O tuitaço ocorre durante o dia desta terça, mas tem seu pico mais alto entre 16h e 17h. A hashtag utilizada deve ser #minhainternetcaiu e as mensagens devem ser direcionadas aos perfis @MiniComBrasil e @Paulo_Bernardo.

A página da Campanha disponibiliza uma carta para quem não tem Twitter e quer participar da mobilização e traz algumas sugestões de tuítes.

*Matéria publicada originalmente na Rede Brasil Atual

registrado em: