Você está aqui: Página Inicial / Política / Terminou o pesadelo?

Política

Eleições 2010

Terminou o pesadelo?

por Caio Magri — publicado 03/11/2010 09h30, última modificação 03/11/2010 10h08
Caio Magri: "as eleições terminaram e há uma pergunta que tem que ser feita: o que aprendemos?"

Por Caio Magri*

As eleições terminaram e há uma pergunta que tem que ser feita: O que aprendemos?

Em primeiro lugar temos que reconhecer que pela primeira vez uma iniciativa popular modificou sensivelmente a história de uma eleição: Ficha Limpa.

Varremos do congresso e de governos estaduais a sombra comprovada da corrupção. Teremos um Congresso melhor, não por iniciativa das instituições, mas pela perseverança e mobilização da sociedade civil organizada.

Aprendemos também que o fundamentalismo religioso, que nunca esteve presente nas disputas eleitorais, brotou das incursões anti-republicanas de vários candidatos, sob a coordenação irresponsável do PSDB. Tentou-se até o ultimo momento cravar um campo político de retrocesso que chegou a ameaçar o duro caminho percorrido pela nação brasileira na construção de um estado laico, democrático e plural.

Deste processo não sabemos ainda quais serão as sequelas, mas devemos dar atenção redobrada e prioridade absoluta aos valores republicanos. Devemos atentar à radical separação entre os deveres do estado para com a sociedade e os valores legítimos das consciências e dos dogmas morais e religiosos.

No campo da ética, essas eleições deixaram de lado os temas e desafios pautados pela sociedade, tais como o combate a corrupção e a impunidade. Os escândalos apareceram por todos os lados, mas ninguém propôs objetivamente como podemos aprofundar a prevenção e o combate à corrupção.

Se há uma perspectiva positiva ao percebermos que temos um sistema nacional de integridade mais capaz, há também uma sensação de urgência para a aprovação de leis em tramitação no congresso que poderão aprofundar o combate à corrupção e a impunidade. Destaco a lei de acesso a informação; a lei de responsabilização civil e administrativa das empresas nos atos de corrupção e a lei pela regulamentação da defesa de interesses (lei do lobby), sem falar da reforma do sistema político.

Essa será a principal agenda de compromissos que os próximos governos eleitos deverão enfrentar. Sim, essa é uma tarefa que envolve todos os níveis de governo e todas as dimensões do estado. E sociedade brasileira, que deu uma lição com o processo de aprovação do Ficha Limpa , precisa se jogar de corpo e alma nessa luta.

Somente assim o pesadelo dos últimos meses será superado e a nação brasileira poderá sonhar em paz.

* Caio Magri é sociólogo.

registrado em: