Você está aqui: Página Inicial / Política / SP realiza Festival de Direitos Humanos e homenageia Frei Betto

Política

São Paulo

SP realiza Festival de Direitos Humanos e homenageia Frei Betto

por Paloma Rodrigues — publicado 05/12/2014 14h10, última modificação 05/12/2014 14h15
Essa é primeira vez que a prefeitura homenageia figuras expoentes na luta pelos direitos humanos. Premiação ocorre dentro do Festival de Direitos Humanos na cidade
Wikimedia Commons

Frei Betto será o primeiro homenageado pelo Prêmio de Direitos Humanos Dom Paulo Evaristo Arns. A informação foi dada em primeira mão à CartaCapital pelo secretário de Direitos Humanos de São Paulo, Rogério Sottilli, que organiza a segunda edição do Festival de Direitos Humanos de São Paulo, entre os dias 8 e 14 de dezembro.

“Ele teve uma vida dedicada à luta pelos direitos humanos e pela democracia e é uma figura emblemática para ser o primeiro ganhador desse prêmio, que homenageia outra figura emblemática em seu nome”, afirma Sottilli. O prêmio será entregue pelo prefeito Fernando Haddad na quarta-feira 10, no Auditório do Ibirapuera.

"Estamos construindo uma nova cultura no campo dos direitos humanos na cidade de São Paulo", afirma Sottili. "O Festival é um dos legados que essa gestão deixa no campo dos direitos humanos".

Frei Betto, 70 anos, é um escritor e religioso brasileiro adepto da Teologia da Libertação. Ocupou a função de assessor especial do presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva entre 2003 e 2004 e foi um dos coordenadores do programa social Fome Zero. Participou da luta contra a ditadura, episódio que é descritos em alguns de seus livros – o mais conhecido e premiado deles é Batismo de Sangue, sobre os bastidores da luta e da repressão durante o período do regime militar.

Outra premiação que acontece no contexto do Festival é o 2ª Prêmio Municipal de Educação em Direitos Humanos, que seleciona experiências destacadas na promoção dos direitos humanos nas escolas públicas municipais.

O tema do Festival é "Cidadania nas ruas" e tem a coordenação de Willian Nozaki. Serão reunidas diversas atividades culturais espalhadas pela cidade. CartaCapital elencou algumas delas (a programação completa está disponível no site da prefeitura):

- Inauguração do Monumento em Homenagem aos Mortos e Desaparecidos Políticos. A obra de Ricardo Othaki será inaugurada pelo prefeito Fernando Haddad com a presença de famílias de desaparecidos políticos, na segunda-feira 8, no Parque do Ibirapuera, às 14h;

- Exibição de curtas-metragens premiados no 7º Festival de Curtas-Metragens em Direitos Humanos – Entretodos, entre os dias 8 e 13 de dezembro em diversos pontos da cidade;

- Exposição Vista sua camisa com orgulho, que reúne retratos de pessoas de diversas orientações sexuais vestindo as camisas de seus clubes, durante a 18ª Parada do Orgulho LGBT de São Paulo. A exposição será inaugurada na terça-feira 9 e fica disponível até o dia 10 de janeiro, no Saguão de entrada do Edifício Matarazzo, no Viaduto do Chá

- Sessão ao ar livre do filme Branco sai. Preto fica, do diretor Adirley Queirós, na quarta-feira 12 às 20h no Parque Ibirapuera;

- Show Cidadania nas Ruas, com a presença de Angela Ro Ro, Céu, Dream Team do Passinho, Gaby Amarantos, Karina Buhr, Lirinha, Luiz Melodia, Otto e Pepeu Gomes, no domingo 14 à partir das 16h no Auditório do Ibirapuera.