Você está aqui: Página Inicial / Política / P$DB - Partido da Sinistrose e Divulgação de Boataria

Política

Sócio Capital

P$DB - Partido da Sinistrose e Divulgação de Boataria

por Coluna do Leitor — publicado 26/10/2010 10h52, última modificação 26/10/2010 16h48
O único projeto vísivel dos tucanos é o de tentar o poder a qualquer custo. Em outras eleições já mostraram essa faceta, quase se autodestruindo em prol de uma candidatura não-desejada pelo próprio partido, pelo leitor Fernando Gurgel

Por Fernando Gurgel*

"A verdade vencerá a mentira" Frei Leonardo Boff

Quando foi fundado, o PSDB parecia ser uma boa alternativa aos partidos existentes. Afinal de contas, fora dos trópicos, a social-democracia teve algum sucesso. Mas, nas eleições presidenciais de que participaram, seus doutos e soberbos intelectuais não acrescentaram nada aos debates sobre os problemas do País. Apenas esbanjaram astúcia e ganância de poder.

Na atual campanha não foi diferente. Infelizmente - todo brasileiro deveria ter essa preocupação - o PSDB não foi capaz, em nenhum momento da campanha, de mostrar que poderia ter um projeto mínimo para manter o rumo do País e construir o Estado cidadão, livre e justo que os brasileiros querem, a partir das mudanças estruturais que estão em curso.

Não tiveram, também, a preocupação de mostrar que entendem o País em que vivem. Ou de modificar o que possam entender como errado.
Muito pelo contrário, trouxeram apenas práticas negativas e ditatoriais de tentativas de desqualificação de pessoas e estímulo odioso de antagonismos sociais através de uma disputa inconsequente, além de introduziram perigosos componentes fundamentalistas religiosos ao debate político, quando este necessita de maior aprofundamento dos grandes problemas que afligem o Brasil.

Depois introduziram o profundo debate sobre o peso da bolinha de papel, da fita adesiva e a necessidade de tomografia quando atingido por um desses artefatos. Putz! Estão participando de uma eleição ou concorrendo ao Ignobel de Física? Ninguém merece.

A tentativa de desqualificar, também, todos os resultados positivos - visíveis por si só - alcançados nestes anos de democracia e construção de cidadania - que, em parte muito reduzida poderia ser creditada ao próprio partido - deixou a sensação incômoda que esta legenda de intelectuais é um partido sem rumo, sem qualquer projeto concreto para o Brasil.

Perderam uma excelente oportunidade de apresentar seus melhores propósitos e qualificações.

O único projeto vísivel parece o de tentarem o poder a qualquer custo. Em outras eleições já mostraram essa faceta, quase se autodestruindo em prol de uma candidatura não-desejada pelo próprio partido. Não foi abortada à tempo, foi abortada após o nascimento. Ficou órfã de pais vivos. Como milhares de crianças que a política que defendem ajudam a manter nas ruas.

No poder, será que haveriam como mudar a forma como agem?
Com a chapa que está disputando estas eleições, certamente que não. Com o poder nas mãos, a tendência é de piorar essas práticas repulsivas e o comportamento destrutivo. Melhor não apostar dando um voto no escuro!

Mas o PSDB poderia ainda aproveitar sua sigla, mudando apenas o nome para P$DB - Partido da Sinistrose e Divulgação de Boataria.

* Fernando Gurgel Filho é de Fortaleza (CE) e vive no Distrito Federal. Economista de formação, é servidor público federal aposentado pelo Banco Central do Brasil. Autor de diversas poesias e contos premiados e finalista em vários concursos.

registrado em: