Política

Morte de Eduardo Campos

Não há previsão para fim do trabalho em Santos, dizem bombeiros

por Agência Brasil publicado 13/08/2014 18h47, última modificação 13/08/2014 19h35
Entre os passageiros, estava o candidato à Presidência do PSB, Eduardo Campos. Até o momento, nenhum corpo foi localizado ou retirado do local
Reprodução/Facebook
Acidente aéreo em Santos

O avião atingiu casas, academias e lojas comerciais no Boquerão

O capitão do Corpo de Bombeiros de São Paulo, Marcos Palumbo, disse que a equipe deve permanecer por alguns dias no local onde caiu um avião, na manhã desta quarta-feira 13, em Santos (SP), no bairro do Boquerão. De acordo com ele, foram detectados destroços da aeronave em 13 pontos, o que dificulta a localização e retirada dos corpos das vítimas. Entre os passageiros, estava o candidato à Presidência da República, Eduardo Campos (PSB). Até o momento, nenhum corpo foi localizado ou retirado do local, mas a caixa-preta já está em poder das autoridades.

O Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, decolou do Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro, com destino a Guarujá (SP). Nenhuma das sete pessoas que estavam a bordo sobreviveram, segundo o capitão. “A previsão é de muito trabalho para buscar os corpos das vítimas e a caixa-preta. Será um trabalho exaustivo, possivelmente devemos passar alguns dias aqui”, disse à reportagem.

O capitão disse ainda que os bombeiros vão trabalhar dia e noite. No total, 45 homens estão no local. O avião atingiu casas, academias e lojas comerciais. “É um local que está muito prejudicado tendo em vista a grande amplitude do impacto da aeronave”.