Você está aqui: Página Inicial / Política / Ministério de Dilma perto da definição

Política

Novo governo

Ministério de Dilma perto da definição

por Celso Marcondes — publicado 08/12/2010 12h18, última modificação 09/12/2010 12h06
Vários nomes parecem fechados. Cota do PMDB já seria anunciada nesta semana

Vários nomes parecem fechados. Cota do PMDB já seria anunciada nesta semana

Nesta semana a presidenta eleita Dilma Rousseff deve oficializar novos nomes em seu ministério. De uma só fornada pode fechar o pacote do PMDB, que estava difícil de costurar até aqui. Tudo indica que o acordo final está definido. Nelson Jobim, fica na Defesa, mas não conta na cota dos peemedebistas – uma daquelas pérolas da política que um visitante estrangeiro jamais entenderia. Com o carimbo oficial do partido, são dadas como certas as nomeações de Edison Lobão e Wagner Rossi, respectivamente nos ministérios das Minas e Energia e da Agricultura.

Moreira Franco ficaria na pasta dos Assuntos Estratégicos, o que acomoda uma demanda do vice Michel Temer. Duas novidades surgiram nos últimos dias para sacramentar o acordo com o partido: o senador Garibaldi Alves (RN) levaria a Previdência e o deputado Pedro Novais (MA) iria para o Turismo. Este último na cota do senador José Sarney, é um dos seus mais ferrenhos seguidores. No total, 5 vagas para o PMDB e suas facções. No segundo escalão, pode ser definida a nomeação de Geddel Vieira Lima, da Bahia, para a presidência da Embratur.

Também está prestes a ser fechado o acordo com o PSB e dele não consta o nome de Ciro Gomes. Os socialistas devem ficar com o ministério da Integração Nacional, assumido por Fernando Bezerra Coelho, braço direito do governador pernambucano Eduardo Campos. Devem levar também a Secretaria dos Portos, onde há uma disputa entre Márcio França e Pedro Brito. Há ainda uma terceira demanda, o provável novo ministério das pequenas e médias empresas. Outra socialista famosa está fora da lista, a deputada Luiza Erundina.

Para o PDT, está definido, Carlos Lupi continua no Trabalho.

Para o PP, outra surpresa da semana, é quase certa a nomeação do deputado federal baiano Mario Negromonte, do PP, para o importante ministério das Cidades, apesar da pressão do PT em favor do ex-prefeito de Diadema José De Filippi Junior.

O PR deve ficar com a pasta dos Transportes.

Pelos lados do PC do B, mais um dia sem definição: Orlando Silva continua nos Esportes ou entra a deputada Manuela D’Ávila?

Nos campos petistas: estão definidas as indicações de Aloizio Mercadante para o ministério da Ciência e Tecnologia, de Fernando Pimentel, para o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior e de Paulo Bernardo para as Comunicações, este agora num formato mais turbinado.

Quase definida a manutenção de Fernando Haddad na Educação e voltou à tona a possibilidade de Alexandre Padilha assumir a Saúde. Se isso ocorrer, fica a ser coberta a vaga no ministério das Relações Institucionais, hoje ocupado por Padilha. A lógica é que vá para outro petista.

Na lista pessoal da presidenta, devem estar a jornalista Helena Chagas, no lugar de Franklin Martins, na Secom. Também Antonio Patriota nas Relações Exteriores, Teresa Campelo, no Desenvolvimento Social, e a atual ministra Izabella Teixeira, que continuaria no Meio Ambiente.

Se realmente forem oficializados agora todos os nomes “confirmados” pela imprensa nesta semana, restarão poucas definições no ar. Uma que parece no limbo é a vaga para a Cultura.

Já no início do clima de fim de ano, vários dos atuais ministros que devem deixar seus cargos começam a limpar suas gavetas e comparecer a festas de despedida. Alguns deixarão saudades.

Qual a opinião do leitor a respeito destes novos prováveis ministros?

registrado em: