Você está aqui: Página Inicial / Política / Milhares vão às ruas contra o impeachment de Dilma

Política

Crise

Milhares vão às ruas contra o impeachment de Dilma

por Redação — publicado 16/12/2015 21h12, última modificação 16/12/2015 21h51
Movimentos sociais e partidos protestam contra a tentativa de derrubar Dilma, contra Cunha e contra o ajuste fiscal
Paulo Pinto / Agência PT
Ato a favor de Dilma

Ato contra o impeachment de Dilma fechou as duas faixas da avenida Paulista

Milhares de pessoas foram às ruas de 23 estados nesta quarta-feira 16 em manifestações contra o processo de impeachment da presidenta Dilma Rousseff. Os atos, realizados três dias após manifestações a favor da remoção da petista – que minguaram em comparação com os protestos anteriores contra o governo – foram organizados por movimentos sociais e partidos políticos de esquerda. 

De acordo com o Datafolha, 55 mil pessoas participaram dos atos desta quarta-feira 16 em São Paulo. No domingo 13, nos atos contra Dilma, foram 40 mil pessoas de acordo com o mesmo instituto.

Além dos protestos contra o impeachment de Dilma, visto como fruto de um processo ilegítimo, os manifestantes desta quarta se uniram em torno do "fora Cunha", bandeira que pede o afastamento do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), e das críticas ao ajuste fiscal colocado em prática pelo governo Dilma Rousseff. No início da noite, a Procuradoria-Geral da República pediu o afastamento de Cunha do cargo de deputado federal e, por consequência, da presidência da Câmara.

As duas últimas causas foram as que permitiram a união de movimentos mais próximos ao governo, como a UNE, o MST e a CUT, a grupos críticos do Planalto, como o MTST e o Psol. Militantes e políticos de siglas como o PT e o PCdoB também integraram as manifestações.

Eduardo Cunha
No Rio, Cunha foi um dos alvos dos manifestantes nesta quarta-feira

“É um ato cívico, um ato em defesa da democracia, em defesa da cidadania e da liberdade, pelo fora Cunha e pela mudança da política econômica”, disse à Agência Brasil Vagner Freitas, presidente nacional da CUT, em São Paulo

"O Brasil precisa de tranquilidade para construir um projeto de desenvolvimento. Nossa agenda não é do impeachment e da Lava Jato. É da mudança da política econômica e da construção de um projeto de desenvolvimento”, acrescentou. Na capital paulista, os manifestantes se concentraram no vão livre do Masp, fecharam os dois sentidos da avenida Paulista, e caminharam até a Praça da República, no centro da cidade.

No Rio de Janeiro, um palco foi montado em frente à Cinelândia, no centro da cidade, onde se concentraram os manifestantes. Para a integrante da União dos Negros pela igualdade, Sônia Nascimento, um possível impeachment de Dilma seria uma ruptura no regime democrático. "A gente acha que é um golpe porque não tem provado nada contra a nossa presidenta. Ela não foi julgada, não tem nada que desabone a conduta dela enquanto presidenta do país, por isso a gente vê a iminência de um golpe”, afirmou à Agência Brasil.

Para Nascimento, o País precisa melhorar em vários setores, como saúde e educação. “Mas não é por isso que a gente vai querer um golpe, a gente vai lutar pela democracia, para que o País melhore cada vez mais. A gente ficando passível pelo golpe, o País retrocede", acrescentou.

Protesto contra o impeachment
Protesto contra o pedido de impeachment da presidente Dilma na Avenida Paulista, nesta quarta-feira 16

O ator Osmar Prado disse que está participando da manifestação como cidadão, representando a classe artística engajada na luta democrática. "Nós estamos hoje aqui pelo Estado Democrático de Direito, para garantir a governabilidade do governo legitimamente  eleito de Dilma Rousseff, para que não haja casuísmos, golpes ou tentativas antidemocráticas de tomada de poder”.

Prado afirmou ainda que todos os governos fizeram manobras fiscais como as que Dilma está sendo acusada. "Deixem Dilma governar e derrotem-na se o quiserem, democraticamente, em 2018, se o povo assim o permitir"

Também no Rio, houve um ato em frente ao escritório de Cunha, no centro do Rio. Durante o protesto, os manifestantes jogaram para o alto notas de dinheiro impressas com a imagem de Cunha e gritaram “empurra o Cunha que ele cai” e “não vai ter golpe”. 

Abaixo, confira imagens dos atos anti-impeachment:

Paulista vazia! pic.twitter.com/Ncuw3aW4sD

— Samara7days (@samara7days) 16 dezembro 2015

Ato no Recife ocupa a Av. Conde da Boa Vista e a Rua da Aurora #ficadilma #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/MVI15oljKo

— Marivete Saraiva (@marivetesc) 16 dezembro 2015

#EsseImpeachmentÉGOLPE #SaoPaulo #DilmaFica pic.twitter.com/QfMLihgSgz

— Jhu Carvalho (@Jhu_Carvalho) 16 dezembro 2015

assim que se faz #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/ZxIyQ8xzBo

— Para Tudo! (@Ze_Galinhas) 16 dezembro 2015

18:50hs Av. Paulista tomada nas 2 pistas da Consolação a FIESP. #NaoVaiTerGolpe #DilmaFica pic.twitter.com/jRFlvuKkqP

— José Luiz Castro (@jlcastro01) 16 dezembro 2015

Cenas do ato contra o impeachment (e #ForaCunha) na Avenida Paulista pic.twitter.com/84kwyuFEgS

— Jeff Nascimento (@jnascim) 16 dezembro 2015

AO VIVO| Alunos que participaram da luta contra a reorganização escolar também estão em ato na Avenida Paulista. pic.twitter.com/RKH1u6rf5x

— EL PAIS Brasil (@elpais_brasil) 16 dezembro 2015

A #Bahia diz #NaoVaiTerGolpe #DilmaFica #ForaCunha #PelaDemocracia pic.twitter.com/5oVVA1dHiD

— Afonso Florence (@Afonso_Florence) 16 dezembro 2015

MTST nas ruas contra o impeachment, contra o ajuste fiscal e pelo fora CunhaMais fotos da saída passeata do MTST que saiu da Praça do Ciclista e segue até o MASP

Posted by Mtst Trabalhadores Sem Teto on Quarta, 16 de dezembro de 2015

Protesters against the impeachment of Brazil's Dilma Rousseff taking over Avenida Paulista today in São Paulo pic.twitter.com/aLZqX5QoaJ

— Simon Romero (@viaSimonRomero) 16 dezembro 2015

Juventude canta #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/69UMEeI8Ho

— Jeferson Fernandes (@DepJeferson) 16 dezembro 2015

A presidenta Carina Vitral, e a vice Tamires Sampaio no ato contra o golpe na Paulista #EsseImpeachmentÉGolpe pic.twitter.com/Tqz9ik0XKm

— UNE (@uneoficial) 16 dezembro 2015

enterrando walking deads #EsseImpeachmanÉgolpe #NaoVaiTerGolpe #ForaCunha pic.twitter.com/0ZbQXPHMGB

— Beto Mafra (@BetoMafra) 16 dezembro 2015

Intelectuais realizam ato na USP contra impeachment de Dilma Rousseff https://t.co/vqNJoPpYzo pic.twitter.com/BaCBFvlLlx

— MST Oficial (@MST_Oficial) 16 dezembro 2015

Pode abrir mais globocop que ninguém segura esse povo #EsseImpeachmentEGolpe pic.twitter.com/lBv5V62cEz

— Ricardo Leone (@ricleone) 16 dezembro 2015

E a Praça Afonso Arinos está cheia com a militância contra o Golpe! #NãoVaiTerGolpe #DilmaFica Fotos: Naiara Campos pic.twitter.com/FLHXPWheA9

— PT de Minas (@ptdeminas) 16 dezembro 2015

Povo chegando na Cinelândia, q está tá ficando linda! #EsseImpeachmentÉGolpe #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/Ph9xx14Ea8

— Wadih Damous (@wadih_damous) 16 dezembro 2015

Avenida Paulista fechada nos dois sentidos, contra o Golpe contra o Impeachment. #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/B5UUsmStqc

— Emerson Damasceno (@EmersonAnomia) 16 dezembro 2015

@PTnoSenado #EsseImpeachmentÉGolpe #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/mRHmctCT9N

— AnnaLu (@AnnaLuGama) 16 dezembro 2015

#NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/kQgkmr8THy

— FFrajola (@FFrajola) 16 dezembro 2015

UJS/PCdoB e a bandeira mais linda vista aqui na Cinelândia. https://t.co/hroqCJsjaZ #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/FUIWY9iJgh

— ☭Sandro Cavalheiro☭ (@sscavalheiro) 16 dezembro 2015

30 minutes in, both lanes of Avenida Paulista now closed by Anti-Coup demonstration. #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/BjrEcvlXaZ

— Brasil Wire (@BrasilWire) 16 dezembro 2015

O ator Osmar Prado na concentração do ato de hj no Rio de Janeiro, na Cinelância https://t.co/4zJM1ckcx0 pic.twitter.com/9cqs8IozRe

— MST Oficial (@MST_Oficial) 16 dezembro 2015

Laerte receitando medicamento para muitos males. #EsseImpeachmentÉGolpe pic.twitter.com/MILMoEJNGl

— jornalistaslivres (@j_livres) 16 dezembro 2015

Início do ato contra o golpe em Fortaleza! #NaoVaiTerGolpe pic.twitter.com/14hwb15sdw

— Guimarães (@guimaraes13PT) 16 dezembro 2015

A Praça Oswaldo Cruz, no Recife, começa a ficar lotada. É o Recife tb dizendo Não ao golpe!#EsseImpeachmentEGolpe pic.twitter.com/opLfOP0tva

— Humberto Costa (@humbertocostapt) 16 dezembro 2015

Em São Paulo a militância antifascista tem o remédio "tiro e queda" contra o golpe #NaoVaiTerGolpe #DilmaFica pic.twitter.com/083UB4LooM

— PTnaCâmara (@PTnaCamara) 16 dezembro 2015

Primeiras imagens da concentração do MTST no ato "Contra o impeachment, o ajuste fiscal e pelo Fora Cunha"O MTST se concentra na Praça do ciclista de onde sairá em passeata até o MASP.

Posted by Mtst Trabalhadores Sem Teto on Quarta, 16 de dezembro de 2015

Abaixo o golpe impeachment não

Posted by Neto Bobillo on Quarta, 16 de dezembro de 2015

Iniciada a concentração para o ato em São Paulo, no vão livre do Masp, na Avenida Paulista. pic.twitter.com/ehu36zEmYk

— Brasil de Fato (@Brasil_de_Fato) 16 dezembro 2015