Você está aqui: Página Inicial / Política / Gordon Brown e cronistas também foram grampeados

Política

Mídia criminosa

Gordon Brown e cronistas também foram grampeados

por Redação Carta Capital — publicado 11/07/2011 12h58, última modificação 06/06/2015 18h16
O The Sunday Times é acusado de obter dados sigilosos do ex-ministro do Reino Unido para matérias

De jornalistas esportivos a políticos do primeiro escalão, ninguém escapa do “Big Brother” montado pelos tablóides do magnata Rupert Murdoch para conseguir notícias no Reino Unido. A expressão foi criada por Andrew Warshaw, repórter do site World Footbal e possível vítima das interceptações criminosas de mensagens e telefonemas.

As últimas denúncias apontam que o “The Sunday Times”, que compõe o grupo, investigou até mesmo o então ministro do Reino Unido Gordon Brown.

O tablóide tentou obter documentos e histórico das ligações de Brown em busca de seus dados financeiros e de informações sobre a frágil saúde do filho do político, que sofre de problemas pulmonares. As investigações tentam descobrir se uma matéria veiculada pelo jornal sobre a compra de propriedade de Rober Maxwell, um empresário das comunicações, teria sido feita com base em investigações ilegais.

Com a denuncia, outro jornal do News International, braço britânico do conglomerado de Murdock, o News Corporation, é incluído no escândalo. A polêmica envolvendo o grupo já é antiga e teve início com a descoberta de que jornalistas do News of the World grampeavam telefones de famosos para obter matérias.

O caso, no entanto, gerou ainda mais repulsa com a descoberta de que as técnicas ilegais foram utilizadas contra cidadãos comuns, inclusive com uma jovem vítima de sequestro, posteriormente assassinada. O escândalo causou o fechamento do jornal e a prisão de seu editor.

Andrew Warshaw, uma das principais figuras do jornalismo esportivo do país, também se diz alvo das técnicas criminosas dos repórteres. Em sua coluna, ele afirma que seu celular foi interceptado e que a lista de chamadas foi consultada, de forma que os oponentes soubessem para quem ele havia ligado. Warshaw conta que o mesmo ocorreu com um de seus colegas de imprensa.

registrado em: