Você está aqui: Página Inicial / Política / Fechamento de escolas: Beto Richa é pressionado e recua

Política

Educação

Fechamento de escolas: Beto Richa é pressionado e recua

por René Ruschel — publicado 30/10/2015 14h49, última modificação 30/10/2015 14h58
Governador tucano do Paraná havia determinado o fechamento de 100 escolas estaduais, mas recuou após protestos. Em SP, Alckmin mantém a decisão
Joka Madruga/ APP Sindicato
professor-paraná

Professora da rede estadual paranaense protesta contra o governo Beto Richa

O governo Beto Richa (PSDB) havia anunciado o fechamento de mais de 100 escolas estaduais no Paraná, mas recuou nesta sexta-feira 30, após semanas de pressão e protestos de alunos, pais, professores e da maioria da bancada de deputados estaduais na Assembleia Legislativa. O governador anunciou a desistência em fechar escolas em sua página pessoal no Facebook (veja o post ao final deste texto).

O recuo de Richa contrasta com a decisão do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, também do PSDB, que ignora os seguidos protestos de professores e alunos e confirmou o fechamento e 94 escolas estaduais a partir de 2016.

O anúncio do governador do Paraná ainda gera desconfiança por parte da comunidade estudantil, uma vez que, na nota, Richa diz ter determinado à secretária de Educação, Ana Seres Trento Comin, que sejam “retomados os critérios utilizados nos últimos anos para o planejamento e ensalamento de estudantes”.

A forma que o governo tratou os professores estaduais na última greve, atacando-os com a Polícia Militar, reforça o receio do lado dos docentes. 

De acordo com a secretaria educacional Walkiria Mazeto, da APP, o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná, o objetivo do governo era reduzir os custos de aluguel das escolas, estimado em R$ 1,5 milhão mensais. “O que preocupa é o governo planejar o começo de sua política de contenção de despesas justamente pela educação. Fechar escolas é inadmissível” afirmou.

Para o deputado estadual Professor Lemos, PT, qualquer medida nesse sentido deve ser amplamente discutida com a sociedade, inclusive no Conselho Estadual de Educação. Para ele, o movimento de resistência deve permanecer atento às novas medidas e exigir que o governo se sente à mesa de negociação para um amplo debate.  “O que se viu no Paraná foi uma total falta de planejamento por parte do governo. Uma decisão técnica sem qualquer critério e que certamente iria prejudicar milhares de crianças e jovens” afirmou o parlamentar.

beto-richa
Diferentemente de Alckmin, o governador paranaesne desistiu de fechar escolas

A polêmica teve início quando a secretaria de Estado da Educação, sem discussão prévia com alunos, professores ou população, comunicou aos diretores das escolas afetadas que a partir de 2016 haveria alteração nas turmas e mudanças de locais. Algumas turmas seriam encerradas, alunos seriam distribuídos por outras unidades e mais de 100 escolas simplesmente teriam suas atividades encerradas.

Diante da reação de pais, alunos e professores, além da pressão política de prefeitos e vereadores, o governo Beto Richa foi recuando aos poucos da proposta. No começo da semana disse que não passaria de 40 –o que não foi o suficiente para conter uma nova onda de protestos.

Na Assembleia Legislativa do Paraná, até membros da base de apoio do governador, como o presidente da Comissão de Educação da Casa, o deputado Hussein Bakri (PSC), se manifestaram contra a medida.

A justificativa oficial era que nenhum aluno ficaria fora da sala de aula. No entanto, o que o projeto não levou em consideração foram as condições específicas dos núcleos familiares e de trabalho, de pais e estudantes. Com o fechamento de escolas ou transferência de alunos para outras unidades, muitos não teriam condições de frequentar os novos locais pela dificuldade de locomoção.

É o mesmo argumento utilizado pelos estudantes e professores paulistas que serão atingidos pelo fechamento de 94 escolas e que vem sendo ignorado pelo governador Geraldo Alckmin.

Determinei há pouco a suspensão de qualquer medida que esteja em curso na Secretaria da Educação e que implique no...

Posted by Beto Richa on Sexta, 30 de outubro de 2015