Você está aqui: Página Inicial / Política / Campos será enterrado no túmulo do avô Miguel Arraes, diz irmão

Política

Eleições 2014

Campos será enterrado no túmulo do avô Miguel Arraes, diz irmão

por Rodrigo Martins publicado 13/08/2014 16h33, última modificação 14/08/2014 17h39
Antonio Campos afirma que enterro de Eduardo Campos será realizado no cemitério de Santo Amaro, onde está o avô, Miguel Arraes
PSB

Do Recife
Colaborou Fabio Serapião, de Santos

Antonio Campos, único irmão de Eduardo Campos, candidato do PSB à Presidência, morto em um acidente de avião nesta quarta-feira 13, em Santos, afirmou que o político será enterrado no túmulo do avô, Miguel Arraes, líder histórico do partido e também ex-governador de Pernambuco.

Antonio Campos conversou com Eduardo às 6:59 da manhã desta quarta-feira. Segundo ele, Campos estava feliz com a participação positiva na sabatina no Jornal Nacional. "A família, que está sob violento impacto, vai esperar Eduardo em Pernambuco", disse Antonio. "Ele será enterrado no túmulo de nosso avô, que foi plantado em terra também no dia 13 de agosto, no cemitério de Santo Amaro". Miguel Arraes morreu em 2005, aos 88 anos. No local, também está sepultado o tio do candidato, Carlos Augusto.

Em Santos, o secretário de Segurança do Estado de São Paulo, Fernando Grella Vieira, afirmou que os restos mortais das vítimas do acidente serão, inicialmente, levados para São Paulo. Eles serão examinados por especialistas do Instituto Médico Legal (IML) para identificação.

Na tarde desta quarta-feira 13, o candidato do PSB ao governo de Pernambuco, Paulo Câmara, seu candidato a vice, Raul Henry, e o candidato do partido ao Senado, Fernando Bezerra Coelho, pegaram um voo particular para São Paulo para fazer o reconhecimento do corpo de Eduardo Campos.A expectativa é de que eles tragam o corpo de Campos para Recife ainda nesta quarta.

Paulo Câmara, que é ex-secretário da Fazenda do governo estadual de Campos, lamentou a morte do presidenciável. “Eu, Fernando e Raul vamos, agora, buscá-lo e trazê-lo para Pernambuco” afirmou, na porta da residência de Campos. “Para que o pernambucano possa homenagear uma pessoa tão importante para nós. Falei com Eduardo no domingo, estivemos juntos, estamos juntos, vamos continuar juntos.”

Campos deixa esposa e cinco filhos. O mais novo, Miguel, tem 7 meses incompletos. O mais velho, João Henrique, 20 anos, chegou a cogitar lançar candidatura para deputado federal nas eleições deste ano, mas desistiu. Em uma triste coincidência, o acidente que vitimou Campos aconteceu no mesmo dia no qual, há 9 anos, morria seu avô, o político Miguel Arraes, aos 88 anos.

No comitê de Câmara, todos estavam muito abatidos com a notícia. Segundo o candidato ao governo pernambucano, Campos trabalhava diretamente com os assessores. Ana Braga, irmã do assessor de imprensa Carlos Augusto Percol, também morto na queda do avião em Santos, trabalha na criação da campanha de Câmara.

Em meio a informações desencontradas, houve dúvidas de que a esposa de Campos, Renata, estivesse no voo junto com Miguel, filho caçula do casal. Renata chegou a acompanhar Campos em sua viagem ao Rio de Janeiro, mas estava em um avião de volta para Recife na hora do acidente.

O candidato à Presidência tinha uma agenda em Santos às 10h30 e iria conceder uma entrevista coletiva na Praia do Mercado. Como não chegou ao destino e surgiu a informação de que uma aeronave havia caído na cidade paulista, todos no comitê ficaram alerta. No avião, além de Campos e de Percol, estavam Marcelo Lira, diretor de fotografia; Alexandre Severo, fotógrafo; Pedro Valadares Neto; e os pilotos, Geraldo da Cunha e Marcos Martins.