Você está aqui: Página Inicial / Política / Eduardo Campos morre em acidente de avião em Santos

Política

Eleições 2014

Eduardo Campos morre em acidente de avião em Santos

Candidato seguia do Rio de Janeiro para Santos para cumprir agenda eleitoral, mas avião arremeteu por conta do mau tempo no litoral paulista
por Redação — publicado 13/08/2014 12h50, última modificação 13/08/2014 18h00
PSB
Eduardo Campos

Eduardo Campos morreu em acidente aéreo nesta quarta-feira 13

O candidato à Presidência pelo PSB, Eduardo Campos, de 49 anos, morreu por volta das 10 horas da manhã desta quarta-feira 13, quando a aeronave em que viajava caiu na cidade de Santos, litoral de São Paulo. Fontes do partido confirmaram a morte a CartaCapital. Segundo o PSB, as outras seis pessoas que estavam no avião também morreram. São elas: Carlos Augusto Percol, assessor de imprensa; Marcelo Lira, diretor de fotografia; Alexandre Severo, fotógrafo; Pedro Valadares Neto, assessor; e os pilotos, Geraldo da Cunha e Marcos Martins.

Diferentemente do que foi informado inicialmente, a mulher e os filhos do candidato não morreram no acidente. Eles estavam na casa da família no Recife, e não o acompanhavam.

A Força Aérea Brasileira confirmou a queda da aeronave Cessna 560XL, prefixo PR-AFA, que arremeteu quando se preparava para pousar por causa do mau tempo. O núcleo da Base Aérea de Santos confirmou que a equipe de Eduardo Campos aguardava justamente a mesma aeronave. Ainda não há detalhes sobre os acidentes, mas testemunhas disseram ter visto a aeronave de Campos pegando fogo antes da queda.

Após dar uma entrevista ao Jornal Nacional, da Rede Globo, na noite de terça-feira 12, Eduardo Campos deveria cumprir agenda eleitoral em Santos, onde, às 10h30, concederia entrevista coletiva na Praia do Mercado e faria curta volta de catraia, um centenário meio de transporte na região portuária. Contudo, o presidenciável não compareceu aos compromissos e não era possível fazer contato com ele, preocupando os membros de sua campanha.

A vice de Eduardo Campos, Marina Silva, não estava no avião, pois passaria o dia gravando em São Paulo. Ela estaria seguindo para a cidade, assim como o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB).

O jornal O Globo informou que a mãe de Eduardo Campos, Ana Arraes, ficou sabendo da morte do filho em seu gabinete no Tribunal de Contas da União, em Brasília. Em 2005, Miguel Arraes, pai de Ana Arraes, morreu também em um 13 de agosto. Líder histórico da esquerda brasileira, Miguel Arraes foi, como o neto, governador de Pernambuco.

Dilma, Aécio e PSB

Em nota oficial, assinada pelo primeiro-vice-presidente do PSB, Roberto Amaral, o partido afirmou que "Eduardo Campos vivia o auge de sua brilhante carreira política" e "oferecia sua experiência e juventude ao serviço do País". "Candidato à Presidência da República, apresentou-se ao debate de nossas questões fundamentais, coerente com os princípios que sempre nortearem sua vida, e o primeiro deles era a busca por justiça social, razão de existência do Partido Socialista Brasileiro", escreveu o partido. "Perdemos Eduardo Campos quando mais o Brasil precisava de seu patriotismo, seu desprendimento, seu destemor e sua competência. Não é só Pernambuco e sua gente que perdem seu líder; não é só o PSB que perde seu líder. É o Brasil que perde um jovem e promissor estadista", afirmou o partido.

As campanhas do senador Aécio Neves (PSDB) e da presidenta Dilma Rousseff (PT), as duas principais candidaturas na disputa com Eduardo Campos, confirmaram a suspensão temporária de suas campanhas eleitorais após a notícia da morte de Campos.

"É com imensa tristeza que recebi a notícia do acidente que vitimou o ex-governador e meu amigo Eduardo Campos. O Brasil perde um dos seus mais talentosos políticos, que sempre lutou com idealismo por aquilo em que acreditava", afirmou Aécio Neves em sua página oficial no Facebook. "A perda é irreparável e incompreensível. Nesse momento, minha família e eu nos unimos em oração à família de Eduardo, seus amigos e a milhões de brasileiros que, com certeza, partilham a mesma perplexidade e pesar", escreveu.

Por meio do blog do Planalto, a presidenta Dilma se manifestou. "Perdemos hoje um grande brasileiro, Eduardo Campos. Perdemos um grande companheiro", escreveu. "Neto de Miguel Arraes, exemplo de democrata para a minha geração, Eduardo foi uma grande liderança política".

Abaixo, imagem do local do acidente em Santos.

(Foto: Delamonica/Futura Press/Estadão Conteúdo)