Você está aqui: Página Inicial / Política / Dilma inaugura Itaquerão em dia de protestos

Política

São Paulo

Dilma inaugura Itaquerão em dia de protestos

por Piero Locatelli — publicado 08/05/2014 18h10, última modificação 08/05/2014 19h21
Movimentos sociais se manifestaram em frente e dentro da sede de empreiteiras; presidenta mudou agenda e recebeu líderes do MTST
Roberto Stuckert Filho/PR
dilma_itaquerao45e.jpg

Operário faz um "selfie" com a presidenta durante a inauguração do Itaquerão

A presidenta Dilma Rousseff inaugurou nesta quinta-feira 8 a Arena Corinthians, o Itaquerão, na zona leste de São Paulo. O estádio deverá ser o palco da abertura da Copa do Mundo no próximo dia 12 de junho.

No mesmo dia, militantes do MTST (Movimento dos Trabalhadores Sem Teto), do MST (Movimento dos Trabalhadores Sem Terra) e da Rede Extremo Sul fizeram protestos em diferentes pontos da cidade --o que fez a presidenta mudar sua agenda e se encontrar com lideranças do MTST.

Militantes chegaram a ocupar durante quinze minutos a sede da construtora Odebrecht, na zona oeste da cidade. “Odebrecht ganha bilhões com a Copa em cima do sangue de operários e do dinheiro de todos nós”, diziam faixas estendidos no local. As sedes das empresas OAS e Andrade Gutierrez também foram alvo de protestos.

A Rede Extremo Sul, por sua vez, trancou a avenida Paulista, uma das principais vias da cidade e impediu a saída do ex-jogador Pelé de um evento.  Eles se manifestaram em frente à sede da empreiteira HE Engenharia, da Caixa e do gabinete regional da Presidência da República pedindo uma solução para os moradores do Jardim da União, ocupação no extremo sul da cidade. As manifestações se diziam “contra a especulação imobiliária e o domínio das políticas habitacionais pelas grandes empreiteiras.”

Dilma diz que pode desapropriar ‘Copa do Povo’

Antes de entrar no estádio, Dilma atendeu líderes do MTST. O movimento ocupou, nesta semana, uma área há pouco mais de três quilômetros do estádio, batizada como Copa do Povo. Segundo Guilherme Boulos, liderança do movimento, a presidenta disse que estudará a possibilidade de desapropriar o terreno. Em reunião onde também estava o prefeito Fernando Haddad, eles apresentaram outras demandas nacionais do movimento à presidenta –como a expansão das faixas de renda que são atendidas pelos programas habitacionais do governo federal. O encontro aconteceu por volta das três horas da tarde e durou cerca de 20 minutos.

Com um atraso de quase duas horas, Dilma esteve em obras viárias próximas ao estádio, como o viaduto Itaquera. Em seguida, ela inaugurou o estádio, que ainda está incompleto. No entorno, as obras viárias não estão prontas –os visitantes que quiserem chegar ao estádio devem passar por meio de construções que devem ligar a estação de metrô à arena. Parte das arquibancadas também aguarda acabamento.

A presidenta não fez pronunciamentos e não falou com a imprensa no evento. Durante cerca de cinquenta minutos, posou para fotos com funcionários do estádio, de quem recebeu um capacete dourado, e com crianças que estavam no local. Ela esteve acompanhada, entre outros, do prefeito Fernando Haddad, do pré-candidato ao governo de São Paulo, Alexandre Padilha, e do ministro dos esportes Aldo Rebelo.