Você está aqui: Página Inicial / Política / Daniel Dantas acusa editora de publicar material ilícito em "Operação Banqueiro"

Política

"Operação Banqueiro"

Daniel Dantas acusa editora de publicar material ilícito em "Operação Banqueiro"

por Redação — publicado 15/01/2014 14h31
Banqueiro ameaçou extra-judicialmente a Geração Editora por considerar que dados utilizados no livro estão sob sigilo
Antonio Cruz/ABr
daniel dantas

Livro fala da influência de Daniel Dantas e do papel de Gilmar Mendes nos ataques à Satiagraha.

O banqueiro Daniel Dantas, envolvido nas denúncias publicadas no livro do jornalista Rubens Valente Operação Banqueiro, ameaçou a editora Geração Editorial no dia 9 de janeiro, um dia antes do lançamento da publicação, com uma notificação extra-judicial que acusa o autor de utilizar materiais ilícitos em suas investigações. O livro traz revelações e novas provas sobre as ações do banqueiro e do Banco Opportunity.

Na notificação extra-judicial, subscrita pelos advogados de Dantas, o banqueiro afirma, segundo a Geração Editorial, que "pode-se concluir que a publicação extrapola - em muito - os limites do exercício da liberdade de expressão, sujeitando V. Sas. [Geração Editorial], na qualidade de editores e distribuidores, à responsabilização pela divulgação dos dados sigilosos e pelos danos causados ao notificante [Dantas] e ao Opportunity’". Segundo os advogados, alguns dados utilizados no livro estão sob sigilo e, por isso, "o conteúdo divulgado no livro intitulado 'Operação Banqueiro' é ilícito".

Ainda segundo a editora, há na notificação enviada reconhecimento de que pode ter havido uma leitura superficial da obra, uma vez que o preparo e o envio desta se deu anteriormente ao lançamento do livro. Tanto Rubens Valente quanto a editora afirmam não ter utilizado nenhum material ilícito e que os dados obtidos pelo jornalista são provenientes de documentos e inquéritos policiais e administrativos de interesse público. “Caso prosperasse a tese desenvolvida pelo banqueiro e contida na peça ameaçadora de seus advogados, todos os jornais e revistas do país, todas as emissoras de televisão e todas as editoras estariam impedidas de divulgar quaisquer investigações desenvolvidas, por exemplo, pela Polícia Federal”, afirmou Luiz Fernando Emediato, publisher da Geração Editorial, na página de Operação Banqueiro no Facebook.

O livro teve sua primeira edição esgotada, segundo a editora, que prepara uma segunda edição.