Você está aqui: Página Inicial / Política / Chico Buarque, Oscar Niemeyer, Leonardo Boff e mais 10 mil assinaturas pró-Dilma

Política

Eleições 2010

Chico Buarque, Oscar Niemeyer, Leonardo Boff e mais 10 mil assinaturas pró-Dilma

por Ricardo Carvalho — publicado 19/10/2010 14h13, última modificação 19/10/2010 14h13
Em ato público no Rio de Janeiro, a candidata encontrou-se com artistas e intelectuais

Em ato público no Rio de Janeiro, a candidata encontrou-se com artistas e intelectuais

A candidata pelo PT à presidência, Dilma Rousseff, recebeu ontem no Rio de Janeiro um documento de apoio com mais de 10 mil assinaturas encabeçado por Emir Sader, Eric Nepomuceno e outros artistas e intelectuais. Participaram no teatro Oi Casa Grande o cantor e escritor Chico Buarque de Hollanda, o arquiteto Oscar Niemeyer, o escritor Fernando Morais, o teólogo Leonardo Boff, a filósofa Marilena Chauí, os cantores Alceu Valença, Elba Ramalho, Beth Carvalho, Alcione, além do governador Sergio Cabral (PMDB).

Chico Buarque e Oscar Niemeyer foram ovacionados pelas cerca de mil pessoas na plateia. O compositor elogiou a candidata e o presidente Lula: “(Dilma) vai herdar o senso de justiça social, um marco do governo Lula, um governo que não corteja os poderosos de sempre, não despreza os sem-terra, os professores, garis”. Ao final do evento, Chico comentou seu apoio à candidata petista. “Dilma é uma mulher corajosa, já passou por tudo e não tem medo de nada. Conhece o Brasil a fundo, tem grande responsabilidade social e com isso vai tocar adiante o governo Lula”. Já Niemeyer, de 102 anos, permaneceu no palco durante todo o ato público.

A candidata, por sua vez, pontuou as diferenças entre sua candidatura e a de José Serra. “Nós não achamos que crescimento social é uma alegoria de mão ou um anexo. É isso que nos distingue radicalmente dos nossos adversários”.

Depois da entrega do documento, Fernando Morais e Leonardo Boff defenderam as propostas de Dilma Rousseff. “Por que Dilma? Porque sou brasileiro, sou brasileiro que ama o Brasil, que ama a Petrobras escrita com s no final, não com x. Sou um brasileiro que é contra a privatização canibal que os tucanos fizeram no Brasil. Sou um brasileiro que defende com unhas e dentes a incorporação de 35 milhões de miseráveis ao mundo das pessoas que almoçam e jantam todo o dia”, disse Morais. Já Leonardo Boff argumentou que as duas candidaturas representam propostas diferentes para o Brasil. “Eu vou votar em Dilma porque ela é a garantia da continuidade das mudanças que o Lula introduziu nos últimos oitos anos e a chance de consolidar avanços. O resgate da dignidade dos pobres, a inclusão de milhões de pessoas, no nível da população de toda a França, é uma conquista primeira na nossa história”.

Assista ao vídeo realizado após o evento

registrado em: