Você está aqui: Página Inicial / Política / Beto Albuquerque é o vice de Marina

Política

Eleições 2014

Beto Albuquerque é o vice de Marina

por André Barrocal publicado 19/08/2014 10h29, última modificação 20/08/2014 11h50
Nome do deputado federal gaúcho, de passado lulista, será formalizado nesta quarta-feira
Gustavo Lima / Câmara dos Deputados
Beto Albuquerque

Beto Albuquerque em debate na Câmara. Ele é o nome de consenso dos líderes do PSB para ser vice de Marina Silva

O deputado federal Beto Albuquerque, do Rio Grande do Sul, será indicado pelo PSB como vice na chapa presidencial de Marina Silva, caso ela aceite assumir a vaga deixada por Eduardo Campos e cumprir os acordos políticos feitos pelo ex-governador. A escolha está acertada entre os principais líderes do PSB e será formalizada nesta quarta-feira 20 em reunião da Executiva Nacional do partido que deverá chancelar a candidatura de Marina.

Advogado de 51 anos, Albuquerque é vice-presidente do PSB e acumula quatro mandatos seguidos como deputado. Este ano, tentava eleger-se senador. Foi escolhido para vice de Marina por ser antigo no PSB – filiou-se nos anos 80 – e por concordar, sem fazer restrições, com as posições de Campos. Ele condena o espaço conquistado no governo federal por figuras como os senadores Renan Calheiros (AL) e José Sarney (AP), do PMDB; critica a falta de diálogo de Dilma Rousseff com aliados – o PSB era da base de apoio da petista até o início de 2014; e reprova certos resultados econômicos da presidenta, como o baixo crescimento do PIB e a inflação perto do teto da meta.

A exemplo de Campos, Albuquerque também tornou-se mais conhecido nacionalmente durante a gestão Lula. Foi um dos vice-líderes do governo do petista na Câmara no primeiro mandato do ex-presidente. Na crise do “mensalão”, em 2005, estava na linha de frente da defesa de Lula, ao lado de Campos. Também participava de reuniões do Conselho Político, grupo a juntar periodicamente líderes aliados de Lula para discutir decisões do governo. O Conselho foi abandonado por Dilma, uma das razões para Albuquerque queixar-se de perda de influência do PSB no atual governo.

O deputado também foi colaborador do PT no Rio Grande do Sul. De 2011 a 2013, esteve afastado da Câmara para ser secretário de Infra-Estrutura e Logística do governador gaúcho, o petista Tarso Genro. Entregou o cargo e reassumiu o mandato de deputado quando Campos começou a construir a candidatura presidencial do PSB. Albuquerque também foi secretário dos Transportes do petista Olívio Dutra, que comandou o Rio Grande do Sul de 1999 a 2003. Os dois são hoje rivais na briga por uma vaga no Senado. Uma recente pesquisa Ibope mostrava Olívio na segunda posição, com 27%, e Albuquerque, na terceira, com 10%. O líder é o jornalista Lasier Martins, do PDT, com 30%.