Você está aqui: Página Inicial / Política / Aprovação de Dilma cai 26 pontos em um mês, diz Ibope

Política

Pesquisa

Aprovação de Dilma cai 26 pontos em um mês, diz Ibope

por Redação — publicado 25/07/2013 15h45, última modificação 25/07/2013 20h03
Em julho, 71% dos brasileiros aprovavam a forma da presidenta governar. Agora, são 45%. Avaliação do governo caiu de 55% para 31%
José Cruz / ABr
Dilma Rousseff

Dilma em encontro com representantes do movimento negro na semana passada

Mais uma pesquisa de opinião comprovou a queda de popularidade da presidenta Dilma Rousseff após as manifestações de junho. Segundo um levantamento feito pelo Ibope para a Confederação Nacional da Indústria (CNI) e divulgado nesta quinta-feira 25, a aprovação de Dilma caiu 26 pontos porcentuais em um mês.

A pesquisa mostrou, segundo o Ibope, que apenas 45% dos entrevistados aprovam a forma de governar de Dilma, enquanto em levantamento divulgado em 19 de junho eram 71%. Como 49% dos entrevistados disseram desaprovar a presidenta, é a primeira vez desde sua posse que mais pessoas têm visões negativas do governo. Como a margem de erro da pesquisa (feita com 2002 pessoas entre 9 e 12 de julho) é de dois pontos para cima ou para baixo, os índices podem ser iguais.

A confiança em Dilma Rousseff também caiu no período e agora há mais pessoas que desconfiam da presidenta do que confiam. No primeiro grupo estão 45% dos brasileiros (eram 67% em junho) e, no segundo, 50%.

Junto com a popularidade de Dilma, caiu a aprovação do governo federal como um todo. Em junho, 55% dos brasileiros diziam considerar o governo bom ou ótimo, mas agora são 31%, mesmo número de pessoas que consideram o governo ruim ou péssimo. Pesquisa da Datafolha divulgada no último dia 30 mostrou uma queda de 27 pontos porcentuais na aprovação da presidenta durante o período das manifestações, resultando numa aprovação de 30%.

A queda de Dilma teria, segundo as pesquisas, impacto eleitoral caso o pleito presidencial fosse disputado hoje. De acordo com o Datafolha, Dilma enfrentaria um segundo turno e, se fosse contra a ex-senadora Marina Silva, ficaria em empate técnico com ela.

registrado em: