Você está aqui: Página Inicial / Política / 'A privataria tucana' vende 15 mil exemplares no 1º dia nas livrarias

Política

Em falta

'A privataria tucana' vende 15 mil exemplares no 1º dia nas livrarias

por Redação Carta Capital — publicado 12/12/2011 14h49, última modificação 06/06/2015 18h26
Livro sobre as privatizações durante os anos de FHC na presidência já está em falta nas livrarias. Boato que Serra tentou comprar lotes do livro é infundado
Capa_Privatas_FINAL_

Coordenadora tenta forçar repórter da CC a se retratar sobre suposta participação da legenda na demissão de dois jornalistas

Lançado na sexta-feira 9, o livro "A Privataria Tucana", do jornalista Amaury Ribeiro Jr., que relata irregularidades durante o processo de privatizações de empresas públicas nos anos FHC, conseguiu a proeza de vender 15 mil exemplares no seu primeiro dia nas livrarias. A alta vendagem em tão pouco tempo pegou de surpresa tanto a editora que bancou a publicação, a Geração Editorial, quanto as principais megastores.

"Estamos imprimindo mais 15 mil. Subestimamos a demanda, mas o erro não foi só nosso. Algumas livrarias não estavam acreditando. Mas em uma semana o livro estará, de novo, em todos os pontos comerciais", disse o editor Luiz Fernando Emediato, dono da Geração Editorial, ao site Brasil 247.

O esgotamento relâmpago do livro nas livrarias gerou o boato, difundido nas redes sociais durante o fim de semana, de que grandes livrarias, como a Cultura, estariam boicotando a obra após um pedido de José Serra, principal personagem do livro. CartaCapital entrou em contato com a Geração Editorial, que desmentiu a informação.

A Livraria Cultura também negou que pessoas ligadas a José Serra tenham tentado comprar todo o estoque do livro na unidade do Conjunto Nacional, em São Paulo, principal loja da megastore. Segue nota de esclarecimento da empresa: "A Livraria Cultura foi citada em matérias na internet sobre o livro Privataria Tucana, de Amaury Ribeiro Jr. (Geração editorial). Uma fonte não identificada da Livraria teria dito que houve uma tentativa de comprar todo o estoque do produto com o suposto objetivo de impedir que outros o adquirissem. Esclarecemos que tal fato não aconteceu."

registrado em: ,