Você está aqui: Página Inicial / Os protestos de 15 de março pelo Brasil
Os protestos de 15 de março pelo Brasil

Os protestos de 15 de março pelo Brasil

por Clarice Cardoso publicado 15/03/2015 11h38, última modificação 10/11/2016 10h31
Grupos realizam neste domingo 15 manifestações em diversas cidades do País pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff, sendo alguns deles são abertamente defensores de uma “intervenção militar”

Manifestantes incendeiam sede do PT em Jundiaí

O PT confirmou que a sede do partido em Jundiaí, interior de São Paulo, sofreu um atentado a bomba, informa a Agência Brasil. Provavelmente um tipo de molotov causou estragos em uma sala, queimando documentos, cortinas, mesas e cadeiras. O crime ocorreu após o fim das manifestações contra o governo federal na cidade.

Manifestantes deixam Avenida Paulista

Os manifestantes que protestam contra o governo federal, na Avenida Paulista, região central de São Paulo, começam a se dispersar. O ato, segundo o instituto Datafolha, reuniu 210 mil pessoas ao longo do dia. As pessoas protestam contra a corrupção e pela saída da presidenta Dilma Rousseff. A Avenida Paulista permanece interditada nos dois sentidos.

Datafolha: 210 mil na Paulista, não 1 milhão

O instituto de pesquisa Datafolha divulgou no início da noite deste domingo 15 que, ao contrário do que informou a Polícia Militar e os organizadores do protesto de hoje em São Paulo, 210 mil pessoas tomaram a avenida Paulista e não 1 milhão. A PM também havia anunciado que, na manifestação de sexta-feira 13 - em defesa da democracia -, 12 mil pessoas foram à rua. Na ocasião, o Datafolha cravou 41 mil  pessoas. Às 16h, o Datafolha registrou 188 mil pessoas na Paulista, o pico.

Panelaço nos Jardins

Um panelaço ocorre neste exato momento no bairro nobre dos Jardins, na capital paulista, durante o pronunciamento do ministro da Justiça José Eduardo Cardoso.

Dilma vai anunciar pacote anticorrupção

Em pronunciamento no início da noite deste domingo 15 em Brasília, o ministro da Justiça, José Eduardo Cardoso, anunciou um pacote de medidas de combate à corrupção. As medidas, a serem anunciadas "nos próximos dias", já teriam sido prometidas na campanha eleitoral petista, disse ele. "O governo está atento para ouvir as vozes das ruas."

Dinho Ouro Preto compara Brasil à Coreia do Norte

o dinho atingiu o norvana parece pic.twitter.com/Zw3xH0q1qH

— Nuri Şahin (@wpaneque) March 15, 2015

Na trilha de roqueiros conservadores, Dinho Ouro Preto, vocalista do Capital Inicial, comparou o Brasil comandado pelo PT e Dilma Rousseff à Coreia do Norte com o compartilhamento de uma foto que lembra o ditador Kim Jong-un. Ele desestimulou, no entanto, o impeachment.

Protestos em Curitiba e Porto Alegre

Crédito: Fotos Públicas/Paulo Pinto

Na região Sul do Brasil as maiores manifestações ocorreram em Curitiba (PR) e Porto Alegre (RS): 80 mil pessoas se reuniram na Praça Santa Andrade, em Curitiba, enquanto outras 100 mil foram às ruas da capital gaúcha.

Em Belém, capital do Pará, os manifestantes caminharam pelo centro da cidade até o Theatro da Paz, um dos símbolos da capital paraense, vestidos de verde e amarelo e levando faixas com críticas ao governo Dilma e pedidos de impeachment da presidenta, informa a Agência Brasil.

Em Manaus, 22 mil pessoas

Em Manaus, capital amazonense, 22 mil pessoas se juntaram aos protestos, de acordo com a Polícia Militar. A passeata começou na Praça do Congresso e seguiu pelas principais avenidas do centro da cidade.

O impeachment será no Whatsapp?

O aplicativo tem se tornado o principal articulador para quem quer espalhar boatos e confundir. Leia na reportagem http://bit.ly/1Ei2Jbw

Campinas: 15 mil nas ruas

Em Campinas (SP), 5 mil pessoas se reuniram pela manhã e mais de 10 mil na parte da tarde para os protestos, informa a Agência Brasil. Os manifestantes já se dispersaram sem episódios de violência ou enfrentamento registrados pela polícia.

Sobe para 26 os presos em manifestação em São Pauilo

— POLÍCIA MILITAR - SP (@PMESP) March 15, 2015

37 morteiros

Os 20 integrantes dos Carecas do Subúrbio, presos pela PM na manifestação da avenida Paulista, estavam com 37 morteiros, soco inglês, gás pimenta e até máquina de choque. De acordo com a PM, eles foram levados para o 2º Distrito Policial.

Mídia internacional repercute protestos

As manifestações contra o governo Dilma Rousseff neste domingo 15 repercutiram na mídia internacional, segundo a Agência Brasil. O jornal britânico The Guardian chamou os protestos de “demonstrações de direita” contra a “economia moribunda” e o escândalo da Petrobras.

O Financial Times afirma que as manifestações se somam “a um clima de instabilidade política que tem empurrado a moeda brasileira para baixo e tornado ainda mais difícil a introdução das medidas de austeridade necessárias para corrigir a deteriorada situação fiscal do Brasil”.

Na BBC britânica, o título era “Grandes protestos contra a presidente do Brasil”, enquanto o alemão Der Spiegel traz o título "Brasil: centenas de milhares vão às ruas para protestar contra o governo".

3 mil na Cinelândia

Aproximadamente 2 mil pessoas marcham na tarde de hoje na Cinelândia, no Rio, contra a presidenta Dilma Rousseff. O grupo Resistência RJ pede intervenção militar com faixas e cartazes e caminha até a sede do Comando Militar do Leste, na Central do Brasil. As informações são do site O Dia.

Rondônia

Em Porto Velho, capital de Rondônia, cerca de 10 mil pessoas participam dos atos contra o governo, segundo a Polícia Militar.

Governo vai comentar manifestação

A assessoria da Presidência da República informou que os ministros José Eduardo Cardozo (Justiça) e Miguel Rossetto (Secretaria Geral) comentarão as manifestações às 18h30 de hoje no Palácio do Planalto.


Manifestantes começam a deixar a Paulista

Os manifestantes que tomaram a avenida Paulista neste domingo começam a deixar a região. A Polícia Militar ainda não divulgou a quantidade de pessoas que ainda permanece no local.

CartaCapital comenta manifestação ao vivo

Os jornalistas de CartaCapital começam agora a comentar as manifestações deste domingo 15. Eles também interagem com os leitores respondendo a perguntas enviadas pelo Twitter: #tvcarta. Assista em http://www.cartacapital.com.br/

O fim da Nova República

Estamos em 2015 e a única “reforma política” no horizonte consegue piorar ainda mais o que já era bastante ruim. Sim, meus amigos, tudo isso apenas demonstra como a Nova República acabou. Sua governabilidade foi fundada em dois pilares: a cooptação constante de trânsfugas da ditadura (Sarney, ACM, Jorge Bornhausen etc.) e a gestão da massa fisiológica alimentada pelos cálculos oligárquicos locais.

Leia a análise de Vladimir Safatle: http://bit.ly/1CiPQyX

Trineto de dom Pedro II participa de protesto

Membro da família real brasileira, dom João de Orleãs e Bragança, trineto de dom Pedro II, participou da manifestação contra a corrupção, em Copacabana. "Eu sou contra o impeachment", afirmou ele à Agência Brasil. "A presidente Dilma ganhou as eleições legitimamente. E se ela tiver que ser retirada, terá que ser legitimamente, através das eleições. É isso que dá legitimidade ao nosso ato de hoje."

Amapá: 400 manifestantes

Em Macapá, 400 pessoas participam do ato contra Dilma, segundo a PM. A manifestação é organizada pelo movimento Neoliberal Impeachment.

Tumblr ironiza intervenção militar

"Hi, I'm Borat and my sister is the petralher and little chicken leg number 4 in Brazil". A frase, do tumblr dilmaexit.tumblr.com, ironiza as fotos com frases em inglês convocando os militares a destituírem a presidenta Dilma Rousseff.

CartaCapital é hostilizada na Paulista

Incitada pelo MBL, multidão hostiliza jornalistas da CartaCapital, que precisaram deixar a manifestação escoltados. Entramos ao vivo em 5 min para contar como foi:

666 na Paulista

Jéssica dos Santos, de 25 anos, decidiu pintar o número 666 no peito e fazer um topless em plena avenida Paulista. Ela subiu no caminhão que pedia a intervenção militar e fazer seu protesto. Muitos manifestantes se irritaram e começaram a tentar expulsá-la. Diante do tumulto, ela foi escoltada pela Polícia Militar.

Fora Supremo?

Segundo o site Consultor Jurídico, os protestos contra a presidente Dilma Rousseff (PT) se estenderam aos Poderes Legislativo e Judiciário. Em Copacabana, zona sul do Rio de Janeiro, foram estendidas faixas com os dizeres “Fora Supremo, fora Dilma. Queremos só Ministério Público e Polícia Federal”.

O País insensato

Assistimos a um espetáculo deplorável e ninguém é poupado. Leia no editorial de Mino Carta: http://bit.ly/1Ekojw2

"Carecas do Subúrbio" presos na Paulista

Neste momento, 20 "Carecas do Subúrbio" estão sendo conduzidos ao 2º D.P. Foram apreendidos fogos de artifícios com eles.

— POLÍCIA MILITAR - SP (@PMESP) 15 março 2015

Brasileiros protestam no Canadá

Ao menos 30 pessoas se reuniram em frente ao Westmount Square – edifício que abriga o consulado brasileiro em Montreal, no Canadá – para protestar pelo fim da corrupção no Brasil. O objetivo, segundo Letícia Furtado, organizadora da manifestação, é mostrar solidariedade aos brasileiros que também saíram neste domingo às ruas no Brasil para expressar insatisfação com o governo.

“Eu fiz este evento por ser solidária ao Brasil”, disse a professora de educação física e moradora da cidade de Longueil (15 km de Montreal) há 20 anos. “E também para que os passantes entendam que o Brasil está mobilizado no dia de hoje”, destacou.

Foi feita uma leitura de um trecho do poema de Castro Alves, O Navio Negreiro, e os manifestantes entoaram o Hino Nacional. Por volta das 13h, o grupo se dispersou. Montreal é a segunda maior cidade do Canadá, onde vivem cerca de 3 mil brasileiros, segundo dados de Statistics Canada, o órgão de estatísticas do governo canadense.

(*Com informações da Agência Brasil)

Aécio comemora no Facebook

Em vídeo, o senador Aécio Neves, candidato do PSDB derrotado nas últimas eleições presidenciais, saudou os protestos de hoje, que, segundo os números preliminares, reúnem em todo o Brasil mais de 1,2 milhão de manifestantes, 1 milhão só em São Paulo. "Esse 15 de março vai ficar lembrado para sempre como o Dia da Democracia. O dia em que os brasileiros se vestiram de verde e amarelo e foram para as ruas se reencontrar com as suas virtudes, seus valores, seus sonhos. Depois de refletir muito, eu optei por não estar nas ruas neste domingo, para deixar muito claro quem é o grande protagonista destas manifestações. E ele é o povo brasileiro, o povo cansado de tantos desmandos, de tanta corrupção. Mas o caminho só está começando a ser trilhado. Por isso, não vamos nos dispersar", discursou.

Espírito Santo: 1,5 mil em Vitória

Em Vitória, no Espírito Santo, 1,5 mil pessoas se concentram na Praça do Papa, no centro, segundo a Polícia Militar.

"Carecas do Subúrbio" são presos pela PM em SP

Um grupo de 20 jovens denominado Carecas do Subúrbio foi cercado pela Polícia Militar, na região da avenida Paulista. Sob o risco de serem linchados, a polícia cercou o grupo. Eles foram surpreendidos com bombas de fabricação caseira, rojões e socos ingleses em suas mochilas.

Metrô fecha em São Paulo

Em São Paulo, a estação Trianon do metrô teve as portas fechadas em razão da quantidade de pessoas que se deslocam para a avenida Paulista para protestar. A informação é da Polícia Militar.

Aécio assiste a protesto da janela

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) foi visto na janela do seu apartamento, na avenida Vieira Souto, em Ipanema, zona sul do Rio. Ele vestindo a camisa da seleção brasileira enquanto a manifestação contra o governo acontecia em Copacabana, informou a Folha de S.Paulo. Aécio estava com um dos filhos gêmeos no colo.

Antipetismo virulento dá o tom do protesto em Brasília

Ato em Brasília reuniu cerca de 45 mil manifestantes, segundo estimativas da Polícia Militar. A bandeira anticorrupção tinha alvo específico: o governo e o PT. Quase não houve menções a outros partidos envolvidos em escândalos. Os presidentes do Senado, Renan Calheiros, e da Câmara, Eduardo Cunha, ambos investigados pela Operação Lava a Jato, parecem ter sido poupados.

Leia na reportagem de Rodrigo Martins http://bit.ly/1baKaMW

10 mil protestam em Santos

Em Santos, no litoral paulista, 10 mil pessoas ocupam a Praça da Independência, no centro, calcula a Polícia Militar.

80 mil em Curitiba

Em Curitiba, Paraná, a Polícia Militar estima em 80 mil o número de pessoas que foram às ruas contra o governo Federal. A passeata começou na Praça Santos Andrade e chegou à Boca Maldita. onde continua.

13 mil em Manaus

Em Manaus, capital amazonense, a passeata no centro contou com 13 mil manifestantes, de acordo com a PM. O protesto começou às 9h e terminou por volta das 13h, segundo o G1 local.

1 milhão na Paulista

Às 15:40, são 1.000.000 de manifestantes na Paulista e adjacências.

— POLÍCIA MILITAR - SP (@PMESP) 15 março 2015

Protesto nos Estados Unidos

Brasileiros também se manifestam nos Estados Unidos, informa a Agência Brasil. Em Nova York, um grupo de brasileiros se concentrou na Union Square: 70 e 80 pessoas apareceram. Em Miami, a manifestação começou por volta das 13h. Brasileiros que vivem em Boston e Orlando também prometeram, pelas redes sociais, aparecer em atos. Cerca de 1,2 milhão de brasileiros vivem nos Estados Unidos.

Ex-candidato Eduardo Jorge vai a ato com camisa do PV

O ex-candidato à Presidência Eduardo Jorge compareceu ao ato na Avenida Paulista e cumprimentou os manifestantes vestindo a camiseta de seu partido, o PV. Em sua conta no Facebook, publicou um texto afirmando: "Coerente com minha posição de oposição ao atual governo federal, oposição pacífica, construtiva e democrática irei à manifestação mesmo tendo consciência que forças muito heterogêneas estão na sua convocação. Algumas inclusive que repudio. Mas como sempre não quero me esconder. Não quero me omitir. Prefiro tentar influir com minhas ponderações."

500 na Candelária, no Rio

No Rio de Janeiro, um ato convocado para esta tarde na Candelária reúne cerca de 500 pessoas, segundo a PM. Manifestação na parte da manhã na Avenida Atlântica, em Copacabana, contou com 15 mil presentes, estimou a Polícia Militar.

Minas: protesto se fragmenta

Em Belo Horizonte, capital mineira, o protesto contra Dilma fragmentou-se. Na Praça da Liberdade, há mil pessoas. Na praça Sete, na Região Central, duas mil. As informações são da PM de Minas Gerais.

Manifestantes chegam pelas estações de metrô em São Paulo

Segundo informações do Metro, a cada 2 minutos chegam 4.000 pessoas para a manifestação na avenida Paulista, em São Paulo

Shopping fecha em Natal

Em Natal, no Rio Grande do Norte, centenas de manifestantes começam a se concentrar em frente ao shopping Midway Mall, na zona sul da cidade. Diante da movimentação, o centro comercial fechou as portas, informa o G1 local.

Manifestante ocupam avenida Paulista em São Paulo


(Foto: Robson Fernandjes/ Fotos Públicas)

Rio Grande do Norte: protesto custa 20 mil reais

Reportagem da Tribuna do Norte afirma que a manifestação no Rio Grande do Norte custou 20 mil reais: o dinheiro foi usado para comprar faixas, bandeiras, carro de som, apitos, tintas, água e segurança privada.

Goiânia: 25 mil

Em Goiânia, a Polícia Militar informa que 25 mil pessoas integraram os protestos na Praça Tamandaré. Os manifestantes começaram a deixar o local as 14h30 e seguiram pela Avenida República do Líbano. O destino dos manifestantes é a sede da Polícia Federal, no Setor Bela Vista.

Santa Catarina

Aproximadamente 500 manifestantes bloquearam a BR-470 na altura do trevo de Lontras, às 13h30, em Santa Catarina. Segundo a Polícia Rodoviária Federal, as filas já ultrapassavam três quilômetros de extensão no sentido Rio do Sul a Blumenau, informa o Jornal de Santa Catarina.

Atualizando, às 15:05, 580.000 manifestantes em São Paulo.

— POLÍCIA MILITAR - SP (@PMESP) 15 março 2015

580 mil manifestantes na Paulista, segundo a PM

A Polícia Militar acabou de atualizar o número de manifestantes que participam, neste momento, do protesto na avenida Paulista. Segundo a corporação, aproximadamente 580 mil pessoas ocupam a principal via da capital paulista.

Marta Suplicy apoia protestos

A senadora petista Marta Suplicy (PT) postou no Facebook uma mensagem em apoio às manifestações contra o governo da presidente Dilma Rousseff. Para a ex-prefeita de São Paulo, o governo do qual participou é "incapaz de dar respostas a uma sucessão de crises".

15 mil em Curitiba

Em Curitiba, capital paranaense, 15 mil manifestantes andam pelas ruas do centro da cidade, segundo a Polícia Militar. Os organizadores falam em 40 mil.

Porto Alegre reúne 6 mil

A Brigada Militar de Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, estima em 6 mil pessoas o número de manifestantes em ato contra Dilma Rousseff na capital gaúcha. Os manifestantes falam em 10 mil. A concentração é no Parcão.

Maçonaria vai às rua em Cuiabá

Os protestos contra o governo Dilma Rousseff, em Cuiabá, no Mato Grosso, terão o apoio da maçonaria: a Grande Loja Maçônica garantiu presença, informa a Gazeta Digital. A concentração é em frente à Praça Alencastro.

Turquia

Um grupo de brasileiros se reuniu hoje na Capadócia, Turquia, numa manifestação por mudanças no Brasil e contra a Corrupção.

Manifestantes "enforcam" Dilma e Lula

Bonecos de Dilma e Lula foram enforcados e pendurados em um viaduto durante manifestação de Jundiaí, interior paulista. Quem postou a imagem em sua página no Facebook foi o leitor Luiz Carlos Cruz Fabiano, informou a Revista Fórum.

Bolsonaro é vaiado

Fotos Públicas/Tasso Marcelo

O deputado federal Jair Bolsonaro (PP-RJ), que participou do ato no Rio de Janeiro, foi impedido de subir em um carro de som. Convidado a falar ao microfone, foi vaiado pelos manifestantes, informa o jornal O Globo. De acordo com a PM, 25 mil pessoas marcharam pela orla de Copa Cabana, zona sul da cidade.

Londres

Cerca de 700 pessoas confirmaram presença pela internet, mas pouco mais de 60 foram às ruas de Londres, no Reino Unido, para protestar contra o governo da presidenta Dilma Rousseff neste domingo, informa a Agência Brasil.

Brasília

Em Brasília, o gramado em frente ao Congresso Nacional, que ficou praticamente tomado nesta manhã, começa a ficar vazio, informa o Correio Braziliense. Segundo um integrante do Movimento Vem pra Rua, o ato estava marcado para terminar entre 12h e 13h. Segundo a Polícia Militar, 50 mil pessoas participaram do ato.

Marina Silva crítica o governo, mas opõe-se ao impeachment

Terceira colocada na corrida presidencial de 2014, com 22,1 milhões de votos, a ex-senadora Marina Silva, abrigada no PSB, manifestou contrariedade à ideia de derrubar a presidenta Dilma do cargo. "Compreendo a indignação e a revolta, mas não acredito que essa seja a solução. Talvez o resultado não seja o pretendido retorno à ordem, mas um aprofundamento do caos".

Leia mais na reportagem de Rodrigo Martins: http://bit.ly/1FoUf4f

240 mil na Paulista

Em pouco menos de uma hora, a Polícia Militar de São Paulo atualizou o total de manifestantes na avenida Paulista: o número saltou de 9 mil para 240 mil pessoas. No local, dois dos três caminhões de som envolvidos nos atos pedem explicitamente um golpe de Estado para remover o PT e Dilma Rousseff do poder.

Goiânia

Em Goiânia, capital de Goiás, a concentração de manifestantes contra a presidenta Dilma Rousseff se dá na Praça Tamandaré, segundo o jornal O Popular. A PM ainda não fez uma estimativa de público e não há previsão para que a caminhada inicie. Munidos de cartazes com frases de protestos e vestidos a caráter, muitos levaram toda a família. Motoristas simpáticos à manifestação demonstram apoio com buzinaço.

Imagens do protesto em São Paulo

Coxinhaço

Antes do início do protesto em Porto Alegre (RS), no Parcão, apoiadores do governo Dilma promoveram um "coxinhaço" no bairro da Redenção, informa o jornal Zero Hora. Marcado via Facebook, o deboche assou coxas de galinha nas ruas do bairros.

Alagoas

O protesto em Maceió, capital alagoana, reuniu 10 mil pessoas, segundo os organizadores e PM. A concentração foi no corredor Vera Arruda, na praia de Jatiúca, de onde partiu em direção ao Alagoinhas, na Ponta Verde. A informação é do site local TNH1.

Em São Paulo, dois grupos pedem golpe militar contra Dilma

Em São Paulo, onde a manifestação anti-Dilma se concentra na Avenida Paulista, dois dos caminhões de som envolvidos nos atos pedem explicitamente um golpe de Estado para remover o PT e Dilma Rousseff do poder. Um dos movimentos, o SOS Forças Armadas, é presença constante em atos contra Dilma desde o ano passado e, por algumas vezes, chegou a protestar sozinho pela cidade. O outro grupo, identificado como Movimento "Alô Brasil, Acorda", diz que "não adianta reclamar e chorar", pois a "politicagem vai acabar com o Brasil". Assim, sugere o grupo, "é preciso radicalizar" e exercer um "choque na política".

O impeachment será no Whatsapp

Da greve de caminhoneiros ao panelaço, o aplicativo tem se tornado o principal articulador de campanhas para quem quer vender produtos, espalhar boatos ou apenas confundir.

Leia na reportagem: http://bit.ly/1Ei2Jbw


O País insensato

A mídia prazerosamente embrenha-se neste cipoal de grosseria, é partícipe ativa e empenhada, donde incapaz de perceber o que, de fato, acontece e acontecerá.

Leia "O País insensato", editoral de Mino Carta: http://bit.ly/1MDpgBJ


Bauru

Cerca de 12 mil pessoas participam do protesto neste domingo em Bauru, interior de São Paulo. A concentração aconteceu na avenida Getúlio Vargas, em frente ao prédio da Polícia Federal, e a caminhada seguiu até a Praça Portugal, onde gritaram palavras de ordem pela saída da presidente Dilma. O ato foi encerado com o Hino Nacional.

Com JCNet

Avenida Paulista

Embora marcado para as 15h, o protesto na avenida Paulista, em São Paulo, começou a receber manifestantes a partir das 9h. Segundo a PM, 9 mil pessoas já se concentravam ao longo da avenida por volta das 15h50. Motoquerios no interior fizeram um buzinasso por volta das 12h30. A cantora Wanessa chegou por às 13h: ela foi escalada para cantar o Hino Nacional.

Belo Horizonte, MG

Na Praça da Liberdade, no centro sul de Belo Horizonte, capital mineira, 24 mil pessoas protestam neste momento, segundo os cálculo da PM. A polícia faz um cordão de isolamento ao redor do carro de som, enquanto os organizadores decidem o destino da caminhada.

Brasília: protesto perto do fim

Em Brasília, o protesto se aproxima do fim no início da tarde deste domingo. Segundo a PM, até 50 mil pessoas marcharam na capital federal acompanhados de perto por 1,6 mil policiais.

Cerca de 3 mil flores brancas foram jogadas no espelho d´água em frene ao Congresso, protegido por um cordão de isolamento policial. Os três carros de som que acompanharam a marcha também deixaram o local.

Dispersão no Rio

No Rio de Janeiro, a manifestação que reuniu 15 mil pessoas, segundo a PM, começa a dispersar. O protesto começou às 8h30, no Posto 5, em Copa Cabana, zona sul, e se dirigiu ao Leme, na mesma região.

Cerca de 850 policiais acompanharam a caminhada, mas só intervieram quando um homem - defensor do governo - discutiu com os manifestantes. A PM cuidou para que ele deixasse o local.

A indignação dura até quando?

Parece haver um consenso entre analistas políticos, governo e oposição: os protestos deste domingo 15 serão grandes, bem maiores em São Paulo. A dúvida é se o sentimento disseminado de frustração basta para levar ao impeachment da presidenta. Para pressionar o Congresso, os insatisfeitos precisam recriar o ambiente de 2013, mas as condições não são as mesmas.

"O hoje e o amanha", por Sérgio Lírio: http://bit.ly/1wMlW58

Ribeirão Preto

Em Ribeirão Preto, interior paulista, os manifestantes se reuniram no centro a partir das 9h. O grupo, estimado em 30 mil pessoas pela PM, percorreu quatro quilômetros de ruas. Por volta das 12h30, eles se concentravam na avenida 9 de Julho.

A Nova República acabou

O modelo de governabilidade iniciado após o fim da ditadura militar não faz mais sentido. Cabe à esquerda defender seu fim.

Leia a análise de Vladimir Safatle: http://bit.ly/1CiPQyX

Recife

A manifestação em Recife, capital pernambucana, chega ao fim no início desta tarde na praia de Boa Viagem. A PM, que acompanhou o protesto de longe, estima em 8 mil participantes; a organização fala em 15 mil pessoas.

O grupo que restou ocupa duas quadras empunhando a bandeira do Brasil e cantando o Hino Nacional repetidas vezes.

30 anos do fim do regime militar

Ainda que fosse um apoiador da ditadura, José Sarney foi o primeiro presidente civil desde o golpe de 1964, e sua posse marcou o fim do regime de exceção. Exatamente 30 anos depois, grupos realizam neste domingo 15 manifestações em diversas cidades do País pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff (PT).

Leia na reportagem: http://bit.ly/1GSnazl

Fortaleza

Na capital do Ceará, a manifestação já se dispersa na altura da Praça Portugal. Cerca de 5 mil pessoas se reuniram entre às 8h20 e 11h40, quando a rotatória da praça foi liberada. Quem sobrou se dirigiu à avenida Beira Mar vestindo verde e amarelo.

São Paulo

Marcado para as 14h, o protesto contra Dilma Rousseff em São Paulo já começa a receber manifestantes no vão livre do Masp. Eles chegam vestindo verde e amarelo, fazendo buzinaço, tocando bateria e empunhando bandeiras do Brasil. A PM ainda não estima a quantidade de pessoas.

Campinas

Aproximadamente 2,5 mil pessoas na cidade de Campinas, interior de São Paulo, protestam contra o governo federal nas avenidas Campos Salles e General Osório, interditadas. Eles cantam "Brasil que trabalha não quer petralha".

A manifestação da manhã deve se unir a outra, marcada para começar às 13h, na Catedral Metropolitana.

Com informações do Correio Popular.

2 mil pessoas em Salvador

Em Salvador, na Bahia, 2 mil pessoas protestam contra a presidenta Dilma Rousseff. Eles pedem a saída do PT do governo e criticam a corrupção. Os manifestantes chegaram às 9h no Farol da Barra empunhando bandeiras do Brasil e vestindo camisetas nas cores da bandeira.

Eles iniciaram no fim da manhã uma caminhada pela orla até o bairro de Ondina.

Fortaleza

Desde às 8h, 5 mil manifestantes vestindo verde e amarelo se concentraram na Praça Desembargador Moreira. Às 11h40, eles iniciaram uma caminhada de 1,5 km em direção à avenida Beira Mar.

Sergipe: 700 manifestantes

Aproximadamente 700 pessoas cantam o Hino Nacional nos arcos da orla em Aracajú, em Sergipe.

Minas Gerais

Aproximadamente 20 mil pessoas estão na praça da Liberdade, em Belo Horizonte, segundo estimativa da Polícia Militar. Um trio elétrico mobiliza os manifestantes, que vestem verde e amarelho. Uma mulher chegou a faze topless na praça da Liberdade.

Um cartaz, em inglês, pede intervenção militar: "military intervetion already please", ou "intervenção militar já, por favor", em tradução livre.

Com O Tempo.

Rio de Janeiro

A manifestação organizada pelos movimentos Vem para Rua, Brasil Limpo e Cariocas Direitos reúne milhares na orla da Praia de Copacabana, na altura do Posto 5. O ato, que começou com o Hino Nacional, conta com discursos no alto do carro de som que pedem o fim da corrupção e o afastamento da presidenta Dilma Rousseff.

A Polícia Militar, que ainda não divulgou a estimativa de manifestantes, montou um esquema de segurança com policiais em fila por toda extensão da orla onde têm manifestantes. Por enquanto, o trânsito não foi interrompido para quem segue do Posto 6 em direção ao Leme.

Com Agência Brasil.

20 mil marcham em Brasília

Aproximadamente 20 mil pessoas marcham contra a presidenta Dilma Rousseff em Brasília na manhã deste domingo, segundo a PM. Organizadores do protesto pelo impeachment falam em 60 mil. A caminhada saiu do Museu da República em direção ao Congresso, onde os manifestantes devem se concentrar.

A Esplanada dos Ministérios recebe concentrações em dois pontos: em frente à Catedral Metropolitana de Brasília e ao Museu da República. A maioria veste camisetas nas cores da bandeira do Brasil ou com frases contra o governo. A movimentação já afeta o trânsito na região central, próximo à Esplanda dos Ministérios.