Você está aqui: Página Inicial / Manifestações no dia 16/8
Manifestações no dia 16/8

Manifestações no dia 16/8

por Redação — publicado 14/08/2015 18h45, última modificação 17/08/2015 13h56
Atos contra a presidenta Dilma Rousseff e o PT estão programados para acontecer em mais de 100 cidades do País

Protesto contra Dilma reuniu 135 mil em SP, diz Datafolha

A manifestação contra a presidenta Dilma Rousseff e o PT atraiu cerca de 135 mil pessoas para a avenida Paulista, em São Paulo, segundo estimativas do Instituto Datafolha. Com isso, o protesto teria sido maior que o de 12 de abril, quando o instituto contabilizou 100 mil pessoas, mas menor que a manifestação de 15 de março, quando 210 mil saíram às ruas na capital paulista. 

Ministro do TCU é visto em protesto contra Dilma no RJ, mas nega participação

O ministro do Tribunal de Contas da União (TCU) Augusto Nardes, relator do processo que julga as contas da presidenta Dilma Rousseff, assistiu à manifestação contra o governo ocorrida em Copacabana, neste domingo 16, no Rio de Janeiro. Nardes almoçava em um restaurante das imediações e destacou que não estava participando da manifestação. Ele estaria apenas de passagem pelo Rio.

O ministro afirmou que seu voto ainda não está definido. “Não posso dizer que há irregularidades de forma concreta ainda, porque são indícios, o governo tem que fazer sua defesa. Estou dando amplo direito de defesa, para não cometer nenhum equívoco. Eu não tenho o meu voto definido. O meu voto era pela rejeição, antes de dar direito à defesa. Agora  tenho que analisar e depois é que vou me manifestar', disse Nardes.

*Da Agência Brasil

Adesivos do Solidariedade

O Solidariedade, partido do deputado Paulinho da Força (SDD-SP), aproveitou o protesto contra a presidenta Dilma Rousseff para distribuir adesivos com o nome do partido, na avenida Paulista, em São Paulo. A legenda do ex-presidente da Força Sindical levou dois carros de som à manifestação na capital paulista.

*Com informações do site Brasil De Fato

Manifestantes começam a deixar avenida Paulista, em São Paulo

O protesto contra a presidenta Dilma Rousseff e o PT na avenida Paulista, em São Paulo, começa a esvaziar. Manifestantes deixam a principal via da cidade em direção ao metrô e bairros vizinhos, como o Jardins e a Bela Vista. A Polícia Militar, no entanto, ainda não divulgou uma estimativa do número de participantes.

Boneco inflável de Lula custou 12 mil reais

O antipetismo voltou a dar o tom do protesto contra o governo Dilma Rousseff em Brasília. Um grupo se dispôs a pagar 12 mil reais para encomendar um boneco inflável do ex-presidente Lula, representado com uniforme de presidiário e o número “13.171” à mostra. 

Leia mais sobre a manifestação na capital federal: http://bit.ly/1Pgko7C

Regina Duarte participa de protesto no Rio de Janeiro

A atriz Regina Duarte marcou presença na manifestação contra o governo Dilma Rousseff no Rio de Janeiro. Artista da TV Globo, Regina, que já fez campanha para o PSDB, postou fotos em seu Instagram onde aparece em cima de uma árvore. 

Aécio Neves em MG e José Serra em SP

Depois do senador Aécio Neves (PSDB-MG) aparacer, pela primeira vez, nos protestos contra a presidenta Dilma Rousseff, o também senador José Serra (PSDB-SP) resolveu participar do mesmo ato em São Paulo. Há pouco, Serra comunicou sua ida ao protesto pelo perfil no Twitter: "Acabei de chegar na manifestação. Estou na Av. Paulista com a Pamplona", publicou o ex-governador do Estado. No dia anterior, Serra já havia postado um vídeo em que convocava as pessoas a irem na manifestação.

Após chacina, manifestantes tiram 'selfie' com a PM em São Paulo

A suspeita de que policiais militares possam ter participado de uma chacina que deixou 18 mortos em Osasco, região metropolitana de São Paulo, não inibiu manifestantes de pedirem 'selfie' com integrantes da Tropa de Choque presentes na avenida Paulista, em São Paulo. Vários manifestantes aproveitaram o protesto contra a presidenta Dilma para enaltecer os policiais. Uma das linhas de apuração diz que os ataques em Osasco teriam sido organizados por PMs em retaliação ao assassinato de um policial militar, na semana passada.

Dilma se reúne com ministros

A presidenta Dilma Rousseff vai se reunir logo mais com ministros de seu governo para avaliar as repercussões dos protestos que ocorrem neste domingo (16) em várias cidades brasileiras.

O encontro está marcado para as 17h, no Palácio da Alvorada, residência oficial da Presidência. Pelo menos três ministros devem participar da reunião: Aloizio Mercadante, da Casa Civil; José Eduardo Cardozo, da Justiça; e Edinho Silva, da Secretaria de Comunicação Social.

Ainda não está definido se haverá um pronunciamento oficial sobre o assunto ainda neste domingo. Na segunda-feira 17, Dilma volta a se reunir com ministros da coordenação política, como tradicionalmente ocorre nas segundas. Em ocasiões anteriores, integrantes do governo - entre eles Cardozo e o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Miguel Rossetto - foram escalados para se pronunciar por meio de entrevista coletiva após manifestações contra o governo.

*Com informações da Agência Brasil

TV Globo é expulsa do protesto no RJ

Um equipe de reportagem da TV Globo teria sido expulsa da manifestação contra a presidenta Dilma Rousseff na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, por participantes. Segundo informações do jornal O Dia, a reportagem teria sido hostilizada, inclusive, pelos carros de som dos grupos Revoltados On-Line e Vem Pra Rua. Alguns manifestantes teriam tentado agredir os funcionários da TV Globo, mas foram impedidos por outros.

#CarnaCoxinha



Internautas críticos às manifestações pelo impeachment da presidenta Dilma Rousseff usaram o Twitter para ironizar os protestos que acontecem neste momento contra o PT pelo País. No microblog, a hashtag mais usada pelos usuários no Brasil, e a segunda mais usada entre usuários do mundo, é #CarnaCoxinha. O nome é uma referência ao Carnaval já que, segundo esses usuários, o protesto mais se assemelha à festa que acontece em fevereiro do que a um protesto.

Ato de apoio à presidenta Dilma e a Lula

Movimentos sindicalistas e sociais se reúnem em frente ao Instituto Lula, em São Paulo, em ato de apoio à presidenta Dilma e ao ex-presidente Lula. Professores universitários e intelectuais de esquerda debatem o "conservadorismo" e o "fenômeno dos coxinhas" no evento. O ato acontece das 14 às 18 horas.

 

Manifestações pelo Brasil

Ao todo, 14 estados e o Distrito Federal registram manifestações contra o governo da presidente Dilma Rousseff e o PT. Os atos acontecem nos estados de AL,CE, BA, ES, GO, MG, PA, PB, PR, RJ, RS, SC, SP, PE e em Brasília.

Manifestantes dizem ser "milhões de Cunhas", em Belo Horizonte

Manifestantes contrários ao governo, em Belo Horizonte, levam faixa na qual dizem ser "milhões de Cunhas" e pedem o fim da corrupção. O deputado federal e presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), é investigado pela Operação Lava Jato por ter recebido 5 milhões em propinas vindas do esquema envolvendo um contrato de aluguel de um navio-plataforma das empresas Samsung e Mitsui. 

O senador Aécio Neves (PSDB-MG) participou dos atos em Belo Horizonte. Crédito da foto: Facebook/ Pedro Munhoz

São Paulo (SP)

A assessoria de Imprensa da PM informou que não divulgará estimativas sobre o número de manifestantes que participarão do ato na avenida Paulista. Em resposta ao protesto contra o governo, manifestantes se concentram em ato a favor do PT no Instituto Lula. 

Brasília (DF)

A PM atualizou a estimativa de participantes dos protestos na Esplanada dos Ministérios para 25 mil pessoas. Em março, as autoridades estimaram público entre 45 mil e 50 mil pessoas.

Aécio Neves sobe em dois trios elétricos

Ausente dos outros dois protestos, o tucano Aécio Neves foi às ruas em Belo Horizonte e subiu em dois trios elétricos : o dos Patriotas e do MBL. "Meu partido é o Brasil", disse. Para a imprensa, o senador disse que não foi aos protestos de março e abril porque o protagonismo das manifestações é dos brasileiros. Desta vez, contudo, Aécio disse que sua participação nos atos de agosto é "para demonstrar claramente que as manifestações não são dos partidos políticos, são da sociedade".

Ato contra Dilma tem bandeira da monarquia brasileira

No distrito federal, em meio a cartazes pedindo o impeachment da presidenta Dilma Rousseff e a prisão do ex-presidente Lula, manifestantes carregam bandeiras do Brasil Imperial, época em que o país era governado pela família real.

Belém (PA)

Próxima do fim, a manifestação em Belém reuniu 6 mil pessoas, segundo a organização, e 1,5 mil, de acordo com a Polícia Militar

Aécio Neves (PSDB-MG) vai às ruas em Belo Horizonte

O senador e candidato derrotado nas eleições presidenciais de 2014, Aécio Neves (PMDB-MG), está no edifício Niemeyer, que fica na praça da Liberdade, em Belo Horizonte. Na praça, estão concentrados 4 mil manifestantes que protestam contra a presidenta Dilma Rousseff e o PT.

No Recife, Jarbas Vasconcelos (PMDB-PE) defende renúncia de Dilma

O deputado federal de Pernambuco pelo PMDB, Jarbas Vasconcelos, se juntou ao coro pela renúncia da presidente Dilma Rousseff durante o ato de repúdio ao governo e ao PT, na praia de Boa Viagem, zona sul do Recife. Vasconcelos, que é ex-governador de Pernambuco, defendeu que a renúncia é menos traumática do que o impeachment para o País.. “A melhor decisão é a renúncia dela. Essa ficha tem que cair”, afirmou.

Em Belém, cartazes fazem menção à Operação Lava Jato

Na capital paraense, manifestantes levam cartazes de apoio à Operação Lava Jato e criticam os escândalos do Mensalão e da Petrobras, que atingiram os governos petistas. 

Recife (PE)

Em Recife, a Polícia Militar também não vai estimar o número de manifestantes. O deputado federal Jarbas Vasconcelos, do PMDB, e políticos do PSDB local participam do ato. A concentração ocorreu na avenida Boa Viagem, de onde os participantes seguem até o Segundo Jardim.

PM se recusa a divulgar número de manifestantes no Rio de Janeiro

Manifestantes começam a caminhar em Copacabana em direção ao Leme. O tenente-coronel Luiz Carlos Segala, da Polícia Militar, disse que "não haverá estimativa de público hoje". Desde 2013, a PM não divulga estimativas de público em atos e manifestações.

Brasília

Manifestantes, em Brasília, iniciam marcha em direção ao Congresso Nacional. Segundo a PM, 20 mil pessoas participam do ato. Organizadores falam em 45 mil.

Belo Horizonte (MG)

Manifestantes começaram a reunir na Praça da Liberdade, onde está a sede simbólica do governo estadual mineiro, por volta das 10 horas. Cerca de 4 mil manifestantes estão no local, segundo a PM.

Maceió (AL)

Em Maceió, capital de Alagoas, manifestantes começaram a se reunir por volta das 10 horas. Às 10h20, cerca de 300 pessoas, segundo os organizadores, se aglomeravam ao redor do carro de som do Movimento Brasil Livre. As estimativas da PM, em Maceió, também são maiores do que a dos organizadores. Segundo a polícia cerca de 1 mil pessoas ocupam o local.

Brasília

No distrito federal, o número de manifestantes aumenta. Estimativas da PM citam 15 mil pessoas. A estimativa dos organizadores da manifestação é menor: 10 mil.

Belém (PA)

Cerca de 1,2 mil manifestantes, segundo a PM, já ocupam as ruas de Belém em ato contra a presidenta Dilma e o PT. A concentração de manifestantes cresceu em um tempo curto. A foto abaixo foi capturada às 9h20.

Brasília

Manifestantes começam a se reunir, no Museu da República, em Brasília, em atos contra o governo da presidenta Dilma e o PT. A manifestação tinha o início programado para às 9h30 e possui cerca de 2 mil participantes, segundo estimativas da polícia militar. 

registrado em: ,