Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Oposição vence e se fortalece no México

Internacional

Derrota amarga

Oposição vence e se fortalece no México

por Redação Carta Capital — publicado 04/07/2011 20h11, última modificação 06/07/2011 18h58
Partido Revolucionário Institucional leva os três estados onde ocorreram eleições no domingo 3, o que consolida a possível candidatura de Enrique Peña Nieto à presidência. Foto: Alfredo Estrella/AFP
Oposição vence e se fortalece no México

Partido Revolucionário Institucional leva os três estados onde ocorreram eleições no domingo 3, o que consolida a possível candidatura de Enrique Peña Nieto à presidência. Foto: Alfredo Estrella/AFP

O Partido Revolucionário Institucional (PRI) foi o grande vencedor das eleições para governador no México, no domingo 3. Os três estados nos quais as disputas ocorreram (Coahuila, Nayarit e Estado de México) ficaram sob a gestão da legenda de oposição ao presidente Felipe Calderón.

A vitória mais ampla ocorreu no Estado do México, o mais povoado do país e feudo do ex-governador e virtual candidato à presidência da República em 2012, Enrique Peña Nieto. Na região, Eruviel Ávila foi eleito com 64% dos votos, deixando o segundo colocado, Alejandro Encinas (PRD), com 23%. Mas a pior situação recaiu sobre Luis Felipe Bravo Mena, que conquistou apenas 13% dos eleitores. O secretário pessoal de Calderón foi escolhido a dedo pelo próprio presidente para representar o Partido da Ação Nacional (PAN), que ocupa atualmente o Governo.

As vitórias do PRI em Nayarit, com Roberto Sandoval, e em Coahuila, com Rubén Moreira, fortalecem Nieto em suas pretenções à presidência. O Partido Revolucionário Institucional, que detinha a hegemonia no México até 2000, reaparece com força e desperta a preocupação do Governo. Calderón agora precisa brecar a arrancada oposicionista, lidar com a violência extrema no país e ainda ajudar o partido a encontrar um candidato forte para a disputa. Na esquerda, a situação também é conturbada, uma vez que o PRD enfrenta turbulências internas e a obsessão de López Obrador em se candidatar novamente ao cargo mais importante do México.

registrado em: