Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Kaddafi foi estuprado antes de morrer

Internacional

Líbia

Kaddafi foi estuprado antes de morrer

por Redação Carta Capital — publicado 27/10/2011 11h45, última modificação 27/10/2011 14h15
Vídeo amador foi divulgado com imagens de rebeldes tentando violar o ex-ditador; organizações de direitos humanos querem investigação formal
kadafi

Um vídeo amador foi divulgado com imagens de rebeldes tentando violar o ex-ditador. Foto: Alessandro Bianchi/Reuters/Latinstock

Um vídeo amador gravado no momento da captura do ex-ditador líbio Muammar Kaddafi, morto em 20 de outubro, indica que o líder teria sido estuprado pouco antes de morrer. A imagem mostra um rebelde tentando inserir uma faca ou instrumento similar no ânus do ex-presidente.

Organizações de direitos humanos já pediram uma investigação formal sobre as circustâncias da morte do ditador. Aparentemente, Kaddafi morreu com um tiro na cabeça e no peito, disparados depois de que já estava nas mãos do Conselho Militar de Misrata, que apoia o Conselho Nacional de Transição (CNT), vencedor da guerra civil na Líbia.

O CNT confirmou à BBC que está investigando as versões de que o líder deposto foi vítima de abuso sexual momentos antes de morrer. A investigação foi motivada por imagens captadas por um telefone celular logo após sua captura, na cidade de Sirte. Segundo a correspondente da BBC, Katya Adler, “Khadafi é rodeado por uma multidão de combatentes anti-Khadafi”. “A gravação parece mostrar o ex-ditador da Líbia sendo submetido a um abuso sexual”.

Denúncias de violações de direitos humanos circundam os dois lados da batalha. Kaddafi foi acusado de utilizar o estupro como arma de guerra. Ao jornal francês Le Figaro, Luis Moreno-Ocampo, procurador-chefe da Corte Criminal Internacional (CCI), disse que contêineres repletos de Viagra eram entregues aos soldados para que realizassem o ato. São estimados cerca de seis mil casos na guerra que assolou o país nos últimos meses.

Além disso, . Obrigadas a se alistarem, elas eram depois abusadas pelo coronel, seus filhos e membros do alto escalão do exército líbio.

registrado em: