Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Ex-editores do tablóide britânico são presos

Internacional

News of the World

Ex-editores do tablóide britânico são presos

por Redação Carta Capital — publicado 08/07/2011 15h30, última modificação 08/07/2011 15h43
Jornalistas são acusados de envolvimento no escândalo das escutas telefônicas e corrupção de policiais

Supostamente envolvido no escândalo das escutas telefônicas do tablóide britânico News of the World, o ex-editor do jornal Andy Coulson foi preso pela Scotland Yard, em Londres, na sexta-feira 8. O jornalista, que comandou o veículo entre 2003 e 2007, vai ser questionado sobre as interceptações e supostos pagamentos ilegais a policiais.

Leia mais em:

Coulson renunciou em janeiro de 2011 ao cargo de porta-voz e diretor de comunicações do primeiro-ministro David Cameron, que criticou fortemente a ação do jornal e pediu a apuração do caso.

A Operação Weeting, que investiga os grampos telefônicos, já prendeu outras cinco pessoas neste ano por envolvimento com as escutas. Mas, um outro grupo, a Operação Elveden, trabalha simultaneamente para apurar casos de corrupção policial. Há indícios de subornos envolvendo empresas do grupo News International – entre elas o News of the World -, do magnata australiano das comunicações Rupert Murdoch, para conseguir informações privilegiadas.

A prisão de Coulson ocorreu três semanas após a News International entregar documentos, sob orientação de advogados, com detalhes de supostos pagamentos ilegais a agentes da polícia de Londres.

Desdobramentos

Outro ex-editor do News of the World, Clive Goodman, também foi preso na sexta-feira 8, sob a alegação de ter subornado oficiais por informação. O jornalista já havia sido condenado e preso em 2007, após uma primeira investigação policial sobre grampos telefônicos causar sua demissão do tablóide sensacionalista The Sun.

Goodman, que trabalha atualmente para o Daily Star Sunday, outro veículo da News International, foi sentenciado a quatro meses de prisão por utilizar os serviços do investigador particular Glenn Mulcaire – também condenado -, para interceptar mensagens de voz.

Novamente, o material que levou a prisão foi entregue pela própria News International, em junho. Os documentos mostram pelo menos 100 mil libras esterlinas (250 mil reais) destinados a entre três e cinco oficiais em troca de informações.

A polícia também investiga evidências de que milhões de emails de um arquivo interno da News International teriam sido apagados por um executivo da empresa, em uma suposta tentativa de obstruir o inquérito da Scotland Yard sobre interceptação de ligações.

O arquivo guarda emails que remontam a janeiro de 2005 e revela contatos diários entre editores e repórteres do News of the World e pessoas de fora, incluindo investigadores particulares.

A suposta eliminação dos emails ocorreu em dois momentos diferentes, um deles no final de janeiro, na mesma época em que a Operação Weeting estava sendo montada.

registrado em: