Você está aqui: Página Inicial / Internacional / EUA induziram câncer em sul-americanos?

Internacional

Hugo Chávez

EUA induziram câncer em sul-americanos?

por AFP — publicado 29/12/2011 07h56, última modificação 29/12/2011 18h35
O presidente da Venezuela considerou "muito estranho" o fato de cinco líderes sul-americanos terem sido recentemente diagnosticados com a doença
chavez e cancer

©AFP/Arquivo / Juan Barreto Hugo Chávez, presidente da Venezuela, em foto de 17 de dezembro

CARACAS (AFP) - O presidente venezuelano, Hugo Chávez, especulou na quarta-feira 28 sobre a existência de uma "tecnologia americana para induzir ao câncer", no dia seguinte do anúncio de que a colega argentina, Cristina Kirchner, sofre da doença que vitimou também outros líderes sul-americanos.

"Não seria estranho se tivessem desenvolvido uma tecnologia para induzir ao câncer e ninguém soubesse disso até agora", declarou Chávez a respeito dos Estados Unidos, alvos recorrentes das suas críticas.

As teorias do venezuelano foram, porém, consideradas "horríveis" e "reprováveis" pela porta-voz do Departamento de Estado dos EUA, Victoria Nuland. "Direi simplesmente isso", reagiu, nesta quinta-feira 29, durante uma entrevista à imprensa.

Acusações 

Opresidente da Venezuela, que afirma estar recuperado de um câncer diagnosticado em junho, afirmou que não pretendia "lançar acusações temerárias", mas considerou "muito estranho" o fato de cinco lídereres sul-americanos terem sido diagnosticados com a doença recentemente.

"É muito difícil explicar o que está acontecendo conosco na América Latina, mas não deixa de ser estranho, muito estranho", completou Chávez durante um discurso realizado diante das Forças Armadas.

"Talvez se descubra dentro de 50 anos" esse suposto plano americano para induzir ao câncer, disse o presidente, no poder desde 1999. "Não sei, só deixo para reflexão", acrescentou.

Chávez costuma acusar o governo dos Estados Unidos, com o qual mantém relações diplomáticas tensas, de estar por trás de supostos planos para tirá-lo do poder após as eleições presidenciais de outubro de 2012, nas quais disputará o terceiro mandato.

O presidente se mostrou convencido, por outro lado, de que Kirchner "vencerá" o câncer de tireóide, do qual será operada em 4 de janeiro.

Ele explicou ter conversado por telefone com a colega argentina, depois do anúncio de sua doença, na véspera, e disse tê-la sentido de "muito bom ânimo".

O chefe de Estado venezuelano também deu as "boas vindas" à cúpula de "vencedores do câncer", que ele planeja realizar no começo de 2012 e à qual se prevê que participem seus colegas de Brasil, Dilma Rousseff, e Paraguai, Fernando Lugo, bem como o ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva.

Chávez manifestou a Kirchner "seus melhores desejos pelo pronto restabelecimento de sua saúde, ao mesmo tempo em que ratificou todo o seu apoio moral", segundo comunicado divulgado previamente pela chancelaria venezuelana.

O presidente venezuelano foi operado, em junho, em Cuba, de um tumor cancerígeno, cuja localização nunca revelou.

Leia mais em afpmovel.com

*Atualizado às 19h30 de quinta-feira 29 para acréscimo de informações.

registrado em: