Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Brasileiros no exterior apoiam protestos contra preços do transporte

Internacional

Mobilização

Brasileiros no exterior apoiam protestos contra preços do transporte

por Redação — publicado 16/06/2013 19h41, última modificação 16/06/2013 19h54
Aumento das passagens no Brasil leva mais de 2 mil pessoas às ruas da Alemanha, Irlanda e EUA

Os manifestantes contra o aumento dos preços do transporte público no Brasil ganharam apoio no exterior neste domingo 16. Marchas organizadas por redes sociais levaram, segundo estimativas das polícias locais, mais de 250 pessoas às ruas de Berlim, capital da Alemanha, e outras 2 mil em Dublin, na Irlanda. Além de cerca de 100 manifestantes em Nova York, nos Estados Unidos, e 150 em Montreal.

Há mobilizações programadas para o domingo ainda em Cambridge e San Diego, cidades nos EUA. Ao menos 43 movimentos em solidariedade aos protestos no Brasil estão agendados para acontecer na Europa, EUA e na América Latina durante a semana.

Em Berlim, a passeata criticou principalmente a violência policial em São Paulo e os gastos com a realização de grandes eventos esportivos no Brasil. "Essa marcha é para mostrar aos alemães, para as pessoas que moram aqui e também para a mídia que está acontecendo algo no Brasil e que o país precisa ser olhado com atenção", disse Juliana Doraciotto, organizadora da manifestação em Berlim, à agência de notícias alemã Deutsche Welle.

O protesto, organizado pelas redes sociais, foi além do aumento da passagem e da violenta repressão policial em São Paulo. "Está relacionado também com maneira de fazer política no Brasil, ao transporte público de má qualidade e a como qualquer manifestação democrática é muito reprimida pela polícia, principalmente em São Paulo", explicou o estudante de Urbanismo Guilherme Maruyama da Costa.

Em Berlim, os manifestantes receberam o apoio do movimento turco que estava reunido próximo ao local de concentração e também da polícia, que interrompeu o trânsito para que a caminhada de 1,5 quilômetro entre os bairros de Kreuzberg e Neukölln pudesse acontecer sem problemas.

Os manifestantes criticaram também a forma como a imprensa na Alemanha cobriu os protestos em São Paulo. Segundo Juliana Doraciotto, a mídia alemã tratou o tema de forma parcial, sem mostrar a realidade brasileira. A cobertura da manifestação no Brasil destacou que os protestos foram desencadeados por um aumento de apenas sete centavos de euro.

A ação foi organizada nas redes sociais e faz parte do evento "Democracia sem Fronteiras", no qual brasileiros residentes em outros países estão planejando uma série de manifestações em pelo menos 27 cidades como Madri, Paris, Londres, Lisboa, Nova York, Cidade do México e Buenos Aires.

Parte desses protestos está programada para acontecer nesta terça-feira 18.

Protesto na Irlanda

Na capital irlandesa, os manifestantes se reuniram no centro da cidade para o evento nomeado de Brazil Awakening Dublin. Não houve caminhadas pela cidade para não causar transtornos no trânsito por recomendação da polícia local.

O evento foi organizado pela jornalista brasileira Andréa Cordeiro pelo Facebook. Haviam 3 mil presenças confirmadas.

Em Nova York, os brasileiros enfrentaram dificuldades para realizar o ato no Central Park. Eles ficaram no local com cartazes, mas não tinham autorização da polícia para fazer o evento.

Com informações Deutsche Welle.