Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Brasil pede explicação por escrito sobre espionagem americana

Internacional

Diplomacia

Brasil pede explicação por escrito sobre espionagem americana

por Agência Brasil publicado 02/09/2013 18h04
Esse tipo de prática a é incompatível com a parceria estratégica entre os países, avaliou o ministro Luiz Alberto Figueiredo Machado
Agência Brasil
Thomas Shannon

O embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, participa do 2º Encontro Técnico de Segurança Pública para a Copa do Mundo

Renata Giraldi e Carolina Sarres

Brasília – O ministro das Relações Exteriores, Luiz Alberto Figueiredo Machado, convocou nesta segunda-feira 2 o embaixador dos Estados Unidos no Brasil, Thomas Shannon, para prestar esclarecimentos sobre as denúncias de espionagem a presidenta Dilma Rousseff e assessores, conforme notícia do programa Fantástico, da TV Globo. Na conversa, Figueiredo cobrou explicações “formais e por escrito” dos norte-americanos, até o final desta semana.

“Convoquei o embaixador dos Estados Unidos ao meu gabinete e disse a ele da indignação do governo brasileiro, dos fatos constantes, dos documentos revelados, das violações das correspondências da senhora presidenta”, ressaltou Figueiredo, que conversou com Shannon por volta das 9 horas por cerca de uma hora. Em seguida, o ministro se reuniu com Dilma.

Na reunião com Shannon, Figueiredo disse que as suspeitas sobre o Brasil envolvendo riscos à democracia e solidez do Estado brasileiro são inadmissíveis. “O Brasil é um país democrático, um Estado sólido, em uma região democrática e sólida, que busca a convivência com seus parceiros de forma amistosa. Não se pode admitir, nem em sonho, que é um país de risco ou problemático”, disse.

Figueiredo assegurou que a conversa com Shannon foi dura e o tom, claro. “Foi uma conversa que ele [Shannon] entendeu o que foi dito. As coisas, quando têm de ser ditas de forma clara, são ditas de forma clara. Ele tomou nota de tudo o que eu disse”, ressaltou o ministro.

“Hoje é feriado nos Estados Unidos, mas ele [Shannon] se comprometeu a entrar em contato com a Casa Branca, para que eles nos enviem por escrito [as explicações sobre as denúncias]. Eu quero que o governo dos Estados Unidos dê as explicações, não necessariamente o embaixador. Nós estamos esperando a resposta. Na minha conversa, ficou claro que esperamos uma resposta ainda esta semana”, disse Figueiredo.

Em seguida, o ministro ressaltou que: “A violação é inconcebível e inaceitável da soberania brasileira. Esse tipo de prática a é incompatível com a parceria estratégica entre os países. O governo brasileiro quer prontas explicações”.