Você está aqui: Página Inicial / Internacional / Bombardeio de Israel mata crianças palestinas

Internacional

Oriente Médio

Bombardeio de Israel mata crianças palestinas

por Redação — publicado 16/07/2014 17h40, última modificação 16/07/2014 17h42
Quatro crianças que brincavam em uma praia da cidade de Gaza foram atingidas por bombas israelenses
Thomas Coex / AFP
Garoto palestino ferido em Gaza

Jornalistas prestam os primeiros socorros a um dos garotos feridos no ataque desta quarta-feira 16, na cidade de Gaza

Quatro crianças morreram nesta quarta-feira 16 na cidade de Gaza em um bombardeio de Israel. O ataque ocorreu por volta das 16h00 (10h00 no horário de Brasília), em uma praia de pescadores onde as crianças brincavam, e foi amplamente documentado pois o local fica a 200 metros do hotel Al-Deira, onde jornalistas estrangeiros se encontram hospedados.

As quatro crianças mortas tinham menos de 11 anos e pertenciam à mesma família. Elas estavam brincando nas barracas de pescadores quando o local foi atacado. Uma das crianças morreu na hora. As outras três foram atingidas cerca de 30 segundos depois, por uma segunda bomba, que as acertou quando elas fugiam da primeira explosão em direção ao hotel.

A primeira das imagens abaixo, divulgada no Twitter por Alexander Marquardt, correspondente do canal de tevê norte-americano ABC, mostra as crianças e um adulto correndo após a primeira explosão. Na foto da direita, a fumaça provocada pela segunda explosão.

Repórteres dos jornais The Guardian, The New York Times, The Wall Street Journal e Washington Post, das redes de tevê NBC, ABC e Channel 4 e da agência de notícias AFP relataram a mesma história. Alguns deles, inclusive, ajudaram no resgate dos sobreviventes – duas crianças, de 11 e 13 anos, e um homem de 21, também da mesma família. O jornalista da AFP viu as crianças, algumas sangrando, correndo e gritando para o hotel, onde se refugiaram. Uma das vítimas segurava o seu estômago gritando antes de cair e ser transportada às pressas pelos funcionários do hotel para uma ambulância. Uma outra ambulância também transportou um homem cuja perna tinha sido arrancada.

Os corpos das crianças foram levados a suas famílias para o sepultamento imediato. Vídeos e fotos que circularam pela internet mostraram o desespero dos parentes ao saberem das mortes das crianças.

A praia à beira do Mediterrâneo onde ocorreu o ataque recebe barracas, cabines para pescadores e pequenos cafés muito populares em tempos normais. O local era considerado relativamente seguro. O Exército de Israel classificou a morte das crianças como um "resultado terrível" dos bombardeios e afirmou que vai investigar o caso.

Desde 8 de julho, Israel realiza uma operação em Gaza, cujo objetivo oficial é reduzir a capacidade do grupo militante Hamas de lançar foguetes contra cidades israelenses. Nesta quarta-feira 16, o Hamas rejeitou oficialmente um cessar-fogo mediado pelo Egito, que na terça-feira 15 havia sido respeitado momentaneamente por Israel até novos foguetes serem lançados a partir da Faixa de Gaza. Após o ataque que matou as crianças nesta quarta, Israel anunciou uma trégua humanitária unilateral a partir da manhã desta quinta-feira 16. Até a terça-feira 15, um israelense e 194 palestinos morreram.

Com informações da AFP