Você está aqui: Página Inicial / Educação / Verdade em meio-termo

educação

Livro

Verdade em meio-termo

por Redação Carta Capital — publicado 14/01/2011 16h13, última modificação 17/01/2011 17h48
O Açúcar e Colonização de Vera Lucia Amaral Ferlini

O Açúcar e Colonização de Vera Lucia Amaral Ferlini
Com o seu Açúcar e Colonização, a historiadora da Universidade de São Paulo Vera Lucia Amaral Ferlini dá importante contribuição para o debate entre os partidários da clássica tese de Caio Prado Júnior, de que a grande propriedade territorial, o chamado latifúndio, dominou toda a economia colonial, e os favoráveis à recente tese do historiador Jorge Caldeira, de que havia na Colônia uma vibrante economia de pequenos empreendedores, totalmente independente dos grandes interesses agrários.
 A autora do novo trabalho se vê, ao que tudo indica sabiamente, em um meio termo. Para ela, o latifúndio de Prado Júnior é na verdade em grande parte um mito, já que o fulcro da economia colonial do açúcar do Nordeste não era a grande propriedade produtora de cana-de-açúcar, esta sim produzida principalmente por pequenas propriedades. Esse fulcro, ela procura demonstrar, era o engenho escravista, uma propriedade territorial não muito extensa, mais industrial do que agrícola. Mas, ao contrário de Caldeira, ela não vê os pequenos empreendedores como autônomos. Pelo contrário, Vera Lucia Amaral Ferlini mostra, documentação à mão, que o engenho concentrava a produção e a mercantilizava, controlando os pequenos produtores e determinando quem estava incluído na sociedade e quem não estava. In medio virtus, diziam os antigos.