Você está aqui: Página Inicial / Economia / Lobão: leilão de Libra ocorrerá mesmo que haja um participante

Economia

Pré-sal

Lobão: leilão de Libra ocorrerá mesmo que haja um participante

por Redação — publicado 19/10/2013 19h22
Segundo ministro de Minas e Energia, nove grupos já depositaram a garantia para participar da disputa na próxima segunda-feira 21
Elza Fiuza/ Agência Brasil
edson lobão

O ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, durante entrevista coletiva em Brasília

Independentemente do número de interessados, o leilão do Campo de Libra será realizado na próxima segunda-feira 21, disse neste sábado 19 o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão. Até o momento, o governo contabiliza 23 ações judiciais contrárias, das quais.

Segundo Lobão, nove grupos já depositaram a garantia para participar do leilão. “Como [o valor depositado] não é pequeno, supõem-se que eles estejam interessados. O importante é que haja participantes, seja um ou mais.”

Este será o primeiro leilão a ser feito no modelo de partilha, que terá a Petrobras como única operadora e com a participação mínima de 30% do consórcio vencedor. “Não estamos privatizando o petróleo do pré-sal, mas nos apropriando dele, porque debaixo do mar, deitado em berço esplêndido, essa riqueza de nada nos servirá", disse Lobão. “Só em Libra, algo em torno de R$ 270 bilhões serão destinados às áreas de saúde e educação. Ao longo da exploração, que deve durar 35 anos, 370 bilhões de reais virão com a apropriação do petróleo [pela União]”, acrescentou.

Em 2013, o Brasil deverá produzir 2,1 bilhões de barris de petróleo por dia, segundo estimativa apresentada pelo ministro. A expectativa é que no período de pico de produção do Campo de Libra (cerca de 15 anos após o início das operações) a produção diária seja 1,4 bilhão de barris por dia.

Greve. Também neste sábado 19 completam-se três dias da greve dos petroleiros, com 42 plataformas paralisadas na Bacia de Campos, no norte fluminense, de acordo com balanço da Federação Única dos Petroleiros (FUP).

Na madrugada, os petroleiros que embarcariam na P-55, plataforma recém-construída que entraria em produção neste final de semana na Bacia de Campos, aderiram à greve e não embarcaram. O Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF) informou também que os trabalhadores da plataforma de Garoupa (PGP-1), que estavam na escala de embarque de sexta-feira 18 à noite, também aderiram ao movimento.

A FUP informou que a Petrobras enviou documento neste sábado convocando os petroleiros para nova rodada de negociações na segunda-feira 21. No documento, a Gerência de Recursos Humanos da estatal informa que apresentará nova proposta para o Acordo Coletivo de Trabalho 2013.

Os trabalhadores reivindicam reajuste salarial de 16,53%. A Petrobras ofereceu até agora um aumento de 6,09% (IPCA) no salário-base, além de 7,68% na Remuneração Mínima por Nível e Regime e um abono equivalente a uma remuneração ou 4 mil reais, o que for maior.

*Com informações da Agência Brasil

registrado em: , ,